Gdeim Izik: Comunicado observadores internacionais no julgamento

Perseguição política, inexistência de justiça imparcial

Nós, observadores internacionais, presentes no julgamento contra o Grupo Gdeim Izik, a decorrer  no Tribunal de Apelação de Salé, Marrocos, estamos preocupados com a falta de evidência de um julgamento justo.

Condenamos o uso de provas obtidas através da tortura e alertamos que o julgamento contra o grupo de Gdeim Izik é por razões de perseguição política, e não de aplicação de justiça.

O Governo marroquino está  a julgar de novo os  conhecidos activistas saharauis de direitos humanos, detidos  após que as forças públicas marroquinas desmantelarampela força, na madrugada de 8 novembro de 2010, o acampamento  de protesto pacífico, composto por mulheres, crianças, idosos e homens.

Após de mais de seis anos de prisão e tortura, os activistas são acusados ​​de formar uma banda criminal e violência contra funcionários públicos no cumprimento do dever.

O juiz absteve-se de pronunciar-se sobre a formalidade em relação à instância em que o julgamento é julgado. Por conseguinte, não se sabe se este processo constitui uma primeira instância ou um recurso. Read more

Ayúdanos a difundir >>>