Presos de Gdeim Izik transferidos de prisão – 11 desaparecidos

Na madrugada de sábado, dia 16 de Setembro, 18 dos 19 presos do Grupo de Gdeim Izik foram arbitrariamente transferidos da prisão sem qualquer aviso prévio. Segundo informação das familias Naama Asfari foi o único preso que ficou na prisão de El Arjat, Abdel Jalil Laaroussi foi levado para a prisão de Okacha em Casablanca e um grupo de seis presos :Sidi Abdallahi Abbahah, Houcein Zawi, Abdallahi Lakfawni, Ahmed Sbaai e Mohamed Bourial foram levados para a prisão de Kenitra.

Onze presos estão desaparecidos há mais de 24h, nem as familias nem os advogados são informados do local onde se encontram.

Esta transferência acontece a poucos dias da visita da sub comissão contra a tortura das Nações Unidas a Marrocos.

As autoridades marroquinas tentam com esta manobra dificultar o contacto entre a sub comissão da ONU e o grupo de Gdeim Izik e também enfraquecer a capacidade de reivindicação do grupo.

Lembramos que Marrocos “escondeu” o preso Abdel Jalil Laaroussi, entre os presos de delito comun em 2014 quando o grupo de trabalho sobre as detenções arbitrárias visitou a prisão de Salé, Rabat. Abdel Jalil Laaroussi tinha sido violentamente torturado durante meses e com esta manobra Marrocos impediu o contacto entre o activista e o grupo de trabalho da ONU.

Passadas mais de 24h após a transferência, continuam em local desconhecido: Sidahmed Lemjeyid, El Bachir Khadda, Mohamed Lamin Haddi, Abdallahi Toubali, Mohamed Tahlil, Hassan Dah, Cheik Banga, Brahim Ismaili, Mohamed Bani, Mohamed Lefkir e Khouna Babeit

Ayúdanos a difundir >>>