Gdeim Izik: relatório denuncia julgamento marroquino de  presos políticos saharauis baseado em falsas confissões obtidas sob tortura

gdeim izik

Num relatório[1] detalhado, a ativista portuguesa de direitos humanos, Isabel Lourenço, denuncia as ilegalidades cometidas durante o julgamento dos presos políticos saharauis conhecidos como Grupo Gdeim Izik.

Este grupo foi sequestrado, detido arbitrariamente e torturado em 2010 após o desmantelamento das forças de ocupação marroquinas no Sahara Ocidental do pacífico campo de protesto conhecido como Gdeim Izik e que Noam Chomsky caracterizou como o início da Primavera árabe.

Os acusados ​​foram condenados num julgamento militar em 2013, mas o Tribunal de Cassação, o mais alto tribunal de Marrocos, ordenou um novo processo civil, devido à falta provas em relação aos crimes de que foram acusados e o fato de que todo o julgamento militar se baseava unicamente em autos da polícia.

No julgamento anterior, o tribunal militar em Rabat condenou todos os réus exclusivamente com base em confissões obtidas sob tortura. Read more

Ayúdanos a difundir >>>