Preso politico saharaui Abdallah Boukioud libertado após 4 anos de calvário

Ontem, 29 de Outubro 2017 foi libertado o preso politico saharaui Abdallah Boukioud após cumprir os 4 anos de prisão a que foi condenado pelas autoridades de ocupação Marroquinas devido às suas opiniões políticas.

Boukioud que cumpriu o final da sua sentença na prisão de Tiznit, foi alvo de tortura e maus tratos continuos durante o pedido de detenção tendo realizado várias greves de fome prolongadas.

4 anos de sufrimiento e tortura

Detido a 27 de Outubro de 2013  e condenado a 4 anos de prisão por ter participado numa manifestação pacífica exigindo os direitos do povo saharaui, foi acusado e condenado por danos à propriedade pública, pertencer a um grupo armado e obstrução da via pública, causando lesões aos funcionários públicos.

Nenhuma dessas acusações foi comprovada nem no tribunal de primeira instância nem no tribunal de recurso, sendo a única “prova” um suposto video que nunca foi apresentado no tribunal, apesar da insistência do advogado do Sr. Boukioud.

As provas apresentadas pela defesa  que demonstram que  o Sr. Boukioud não estava no lugar onde os alegados distúrbios ocorreram na data referida pelo tribunal, não foram admitidos pelo juiz. Nenhuma das provas apresentadas pelo advogado do Sr. Boukioud foi admitida em tribunal. (ver relatório aqui) Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos expulsa eurodeputados por medo da verdade

Um grupo de 5 eurodeputados do Intergrupo para o Sahara Ocidental tentou visitar El Aaiun nos territórios ocupados do Sahara Ocidental sob ocupação militar marroquina desde 1975, após a aterragem no aeroporto os eurodeputados foram impedidos de sair do avião e forçados a regressar no mesmo avião a Las Palmas (Espanha). De acordo com declarações da deputada sueca, Bodil Valero, as autoridades pediram-lhes os seus passaportes, no interior do avião, a que os eurodeputados se recusaram.

Diversos passageiros mostraram a sua solidariedade com este grupo de deputados europeus.

A delegação era composta pela deputada sueca Jytte Guteland (S & D), presidente do Intergrupo; Paloma López Bermejo (IU) vice-presidente, Josu Juaristi (EH Bildu), Lidia Senra (Galega Alternativa Esquerdas) de Espanha e Bodil Valero (Verdes / ALE), também sueca, acompanhados por um assistente. O objectivo da vista era realizar reuniões com a sociedade civil saharaui, vítimas de violações dos direitos humanos e ativistas na cidade, além de verificar de perto a situação sob a ocupação marroquina e a mudança demográfica, com a introdução de centenas de milhares de colonos marroquinos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

POLISÁRIO APELA A UE A CONDENAR A EXPULSÃO DOS EURODEPUTADOS DE MARROCOS

[BRUXELAS, 27 DE OUTUBRO DE 2017]

Marrocos deportou hoje uma delegação de deputados do parlamento europeu da cidade ocupada de El Aaiún no Sahara Ocidental. A delegação, composta por membros do Intergrupo do Parlamento Europeu para o Sahara Ocidental, era liderada pela deputada sueca Jytte Guteland (S & D). Os outros deputados são Paloma Lopez (GUE / NGL), Bodil Valero (Verdes / EFA), Lidia Senra (GUE / NGL) e Josu Juaristi (GUE / NGL).
O representante da Polisario, Mohamed Sidati, declarou hoje que:

“Este é mais um exemplo da tentativa deliberada e contínua de Marrocos de ocultar os seus abusos contínuos e sistemáticos em matéria de direitos humanos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Falei com a delegação para expressar a nossa solidariedade e agradecemos os seus esforços para ver a situação terrível dos direitos humanos dos saharauis que vivem sob a ocupação ilegal de Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Euro deputados rejeitam o Acordo Euromediterrâneo de Aviação

Bruxelas (Bélgica) WESATIMES

O Intergrupo do Parlamento Europeu para o Sahara Ocidental expressou na terça-feira a sua “surpresa” pelas “repetidas contradições” das políticas da União Européia em relação ao Sahara Ocidental e convidou a Comissão Européia a “definir o limite territorial do acordo que regula o transporte aéreo entre a UE e Marrocos.

O comunicado do Intergrupo disse que a Comissão “negocia com Marrocos a extensão do acordo de livre comércio”, em clara violação do parecer do Tribunal de Justiça Europeu.

O documento que resultou das novas negociações solicitadas pela comissão após a entrada de três estados no Tratado de Lisboa foi alterado ontem pelo Parlamento Europeu, embora a nova forma “não respeite a decisão do Tribunal Europeu, cuja essência é que o Sahara Ocidental é um território não autónomo e separado “de Marrocos.

O Intergrupo, pediu à Comissão que  “esclareça o alcance territorial do acordo”, e expressou preocupação de que “o acordo reforça a presença de Marrocos num território não autônomo ocupado pela força”.

A este respeito, os legisladores europeus insistiram em exigir que a Comissão “garanta que o acordo não se aplique ao território anexado por Marrocos em 1975”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

42ª Conferência Europeia de Coordenação do Apoio ao Povo Saharaui (Eucoco)

A 42ª Conferência Europeia de Coordenação de Apoio ao Povo Saharaui (Eucoco) realizou-se em 21 e 22 de outubro em Vitry Sur Seine (França) sob o lema “Autodeterminação do povo saharaui, direito inalienável”.

Argélia, Espanha, Portugal, Suécia, África do Sul, Suécia, Mauritânia, Venezuela, bem como uma importante participação do movimento sindical europeu, expressou o seu apoio incondicional à causa do povo saharaui.

Da parte do Parlamento Europeu participou a Presidente do Intergrupo do Sahara Ocidental, da Jute Gotland da Suécia e da vice-presidente, a espanhola Paloma López, bem como dos deputados portugueses Miguel Viegas, do PCP e João Farinha do Partido da Terra.

A presença das advogadas franceses Ingrid Metton e Olfa Ouled, representando os prisioneiros políticos saharauis do Grupo Gdeim Izik e autoras de um relatório sobre o processo judicial desses prisioneiros, denunciando as graves ofensas cometidas no Tribunal de Apelação marroquino: falta de credibilidade científica e jurídica ao argumentar sobre as alegações. (Relatório de observações de defesa sobre o processo de Gdeim Izik e Anexos). Ambas reafirmaram o seu firme compromisso de continuar a representar os prisioneiros no processo de Gdeim Izik.

Durante a conferência, o advogado da Frente Polisario, Gilles Devers, anunciou o início de uma ação judicial contra a empresa Transavia, devido aos vôos entre Paris e a cidade ocupada de Dajla. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Köhler promete esfuerzos en su primera visita a los campos de refugiados

Campos de refugiados de Tinduf (Argelia), 18 oct (lavanguardia.com).- El enviado especial del secretario general de la ONU para el Sahara Occidental, Horst Köhler, aseguró hoy que no tiene “una varita mágica”, pero que desplegará “todos su esfuerzos” para sacar al conflicto del bloqueo que padece desde 2012.

En su primera visita a los campamentos de refugiados en los que los saharauis viven desde que en 1975 Marruecos ocupó su territorio, el expresidente alemán fue recibido por cientos de personas en la calle y se reunió con el primer ministro, Abdelkader Taleb Omar.

“Es una visita que da un valor añadido, ya que tiene la actitud y la capacidad de hacer avanzar las cosas. Cuenta con el respaldo del secretario general”, explicó a Efe el coordinador saharaui con la misión de la ONU en el Sahara (MINURSO), Mohamad Jadad.

“Es necesario reanudar la negociación y buscar una solución justa porque si no hay una solución las cosas pueden empeorar. La paciencia tiene un límite”, advirtió.

Al hilo de este argumento, Jadad insistió en que, más allá de las piedras que coloca Marruecos, “el obstáculo número uno a día de hoy son algunos de los países miembros del Consejo de Seguridad”, en velada alusión a Francia.

“Existe un falta de deseo firme en el Consejo de Seguridad” para hacer avanzar la negociación y forzar la celebración del referéndum de autodeterminación prometido tras el alto el fuego firmado en 1991, subrayó.

Köhler llegó a primera hora de la mañana al aeropuerto de Tinduf a bordo de un avión oficial español y fue recibido a pie de pista por el propio Mohamad Jadad y la jefa de la Minurso, la canadiense Kim Bolduc.

De allí se dirigió al campamento de refugiados de Auserd, donde asistió a un desfile militar, visitó una tienda tradicional beduina, departió con grupos de mujeres y paseó junto a la población, a la que trasladó su compromiso de “hacer todos los esfuerzos” a su alcance.

Después se trasladó a Esmara, donde se reunió con Taleb Omar y otros miembros de la oficina política del Frente Polisario, así como con el equipo negociador saharaui y diferentes representantes de la sociedad civil.

El viaje, que forma parte de una gira que lo llevará también a Argelia y Mauritania, concluirá mañana con un encuentro con el presidente de la República Árabe Saharaui Democrática (RASD), Brahim Ghali.

La visita a los campamentos se produce apenas 24 horas después de que Köhler fuera recibido en Rabat por el rey de Marruecos, Mohamed VI, una recepción de la que la prensa oficial marroquí apenas ofreció información.

Tampoco se han dado detalles sobre las reuniones de trabajo previas que el antiguo mandatario germano mantuvo en Rabat con el ministro de Asuntos Exteriores, Naser Burita, y con diplomáticos de los llamados “países amigos del Sahara”.

Su gira no incluirá, sin embargo, los territorios saharauis bajo ocupación marroquí, sin que se sepa si ha sido por decisión del propio Köhler o por imposición de Rabat, que ya impidió esa visita a su predecesor, Christopher Ross.

Se espera que el alemán presente su primer informe sobre el Sahara Occidental en un plazo de seis meses, un documento en el explicará la “nueva dinámica” que la secretaría general de la ONU prometió fomentar en abril.

Ayúdanos a difundir >>>

Novo enviado da ONU para o Sahara inicia em Rabat a sua primeira ronda à região

Horst KöhlerHorst Köhler Rabat, 16 out (lavanguardia.com) .- O novo enviado da ONU para o Sahara Ocidental, o alemão, Horst Köhler, iniciou hoje em Rabat a sua primeira visita à região com uma reunião com o ministro marroquino dos Negócios Estrangeiros, Naser Burita e espera  ser recebido pelo rei Mohamed VI.

O encontro entre Burita e Köhler foi realizada no Ministério das Relações Exteriores, sem acesso à imprensa por desejo expresso do enviado da ONU, de acordo com fontes diplomáticas marroquinas, que não forneceram outros detalhes de sua agenda.

Por outro lado, fontes próximas  da organização desta viagem disse à Agência Efe que a visita de Köhler -expresidente da Alemanha e ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) – é realizada “em modo de escuta”, porque é o sua primeiro contato com a região após a sua nomeação para o cargo em 16 de agosto.

Estas fontes confirmaram que Köhler, irá ficar em Rabat na residência  oficial para visitas, ao contrário de seu antecessor, Christopher Ross, que se alojava em um hotel, em seguida, viajará para Argel e Tindouf, local onde estão estabelecidos os campos de refugiados saharauis e que são a casa da Frente Polisário. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A União Africana não aceita nem aceitará uma cimeira com a União Europeia sem a RASD

>16 de outubro de 2017.- A RASD ganhou uma vitória diplomática que a história manterá como um reconhecimento da África ao heroísmo de um povo que há décadas se opôs à injustiça, opressão, êxodo e contra a cumplicidade de muitos dos poderosos no nosso mundo.

Assim, o  Honorável Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Africana decidiu que a Organização Continental não aceita nem aceitará uma cimeira com a União Europeia sem a RASD.

O Conselho deu um mandato firme ao Presidente da Comissão da União para persuadir a Costa do Marfim a enviar o convite para participar à RASD até 27 de Outubro e se esta decisão não for cumprida a Cimeira de Parceria UE-UE será organizado AUTOMÁTICAMENTE em Addis Abeba.

Esta posição política histórica dw África foi tomada após várias horas de debates onde Marrocos utilizou todas as cartas e armas no seu poder na Sala de Conferências e fora dela. Um poder extra-africano bem conhecido fez o que poderia proporcionar o seu apoio exercendo de pressões diretas sobre muitas delegações.

Uma grande maioria fez ouvir alto e claro que a África tem que ser respeitada através do seu forte apego ao seu Ato Constitutivo, seus princípios e decisões. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Jovem jornalista saharaui proibido de continuar os seus estudos

El Aaiun / Western Sahara News Network Activists.

Bashir Eddekly tem 20 anos, é jornalista e ex-prisioneiro político e agora também um ex-aluno.

Após estudar ciência experimental durante um ano no Colégio Ibn Battuta, a sua inscrição foi recusada devido às suas atividades políticas.

Bashir é activista no movimento dos estudantes em El Aaiun ocupado, e a expulsão do colégio ocorre pouco depois de ser preso e detido por 4 meses devido aos seus protestos pacíficos.

É muito provável que o serviço de inteligência marroquino forçou a administração da instituição a expulsá-lo e, assim, impedi-lo de completar sua educação. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

IV Comissão das Nações Unidas: Sahara Ocidental, autodeterminação como única alternativa

Nova Iorque (EUA) (SPS)

A Argélia argumenta “não há outra alternativa do que a autodeterminação”

O embaixador permanente da Argélia nas Nações Unidas, Sabri Boukadoum, afirmou no seu discurso na Quarta Comissão que a descolonização do Sahara Ocidental é “uma questão urgente e crucial para a estabilidade da região”, e reiterou que “não há alternativa ao respeito pelo exercício do direito à autodeterminação”.

“Para a Argélia, a resolução do conflito do Sahara Ocidental é uma questão urgente e crucial para a estabilidade, progresso e integração do Magrebe”, disse Boukadoum, antes de afirmar que é “deplorável que em 2017 ainda existem 17 países não autonomos – pendentes de descolonização “.

O diplomata argelino disse que “o status do Sahara Ocidental é inequívoco”, uma vez que é uma questão de “descolonização registrada na ONU há mais de 50 anos”.

“Todas as resoluções da ONU sobre o Sahara Ocidental adotadas pela Assembléia Geral e pelo Conselho de Segurança afirmam a natureza jurídica inequívoca do conflito, bem como a aplicação do princípio da autodeterminação”, disse Boukadoum. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A RASD adverte que participará como um país mais na cúpula da UA-UE de Abidjan

Argel, 11 oct (diariovasco.com).- O ministro dos Negócios Estrangeiros saharaui, Mohammad Ould Salek, declarou hoje que a República Árabe Saharaui  Democrática(RASD) participará como um país adicional na cúpula entre a União Africana e a União Europeia que se realiza em Abidjan nos dias 29 e 30 de novembro.

Numa conferência de imprensa em Argel, Ould Salek também atacou a França, acusando-a de vender armas e munições a Marrocos e dificultando os esforços do Conselho de Segurança para realizar um referendo sobre autodeterminação apoiado pela ONU .

“A RASD participará da próxima cimeira da UA-UE como os restantes Estados membros da UA, em pé de igualdade. Sem a RASD não haverá cúpula “, disse.

Ould Salek acusou Rabat de tentar evitar a presença saharaui  procurando na França um novo parceiro.

“Marrocos está a  dificultar os esforços dos enviados da ONU junto com a França, que está a pressionar a Costa do Marfim e exorta a UA a evadir a decisão de uma organização de respeito e direito de todos os Estados membros de participar na reunião” Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2