Julgamento dos estudantes saharauis adiado para 13 de fevereiro

A sessão de hoje, 16 de janeiro, durou 10 minutos e foi adiada até 13 de fevereiro.

O julgamento começou às nove e meia da manhã, uma hora e meia antes da hora que havia sido anunciada aos advogados de defesa, já que o julgamento estava agendado para as 11 da manhã.

Apenas 13 dos 15 alunos julgados estavam presentes no dia de hoje.

Os jovens estudantes entraram no tribunal, gritando slogans a favor da luta pela liberdade do povo saharaui, pedindo a libertação de todos os prisioneiros políticos saharauis e em solidariedade com os prisioneiros do grupo de Gdeim Izik.

O julgamento contou com a presença de cinco observadores internacionais, as portuguesas Isabel Lourenço e Joana Ramos, Michel Jolly de França e os advogados espanhóis Pablo Jiménez e Ana Sebastián.

Fora do tribunal, houve uma demonstração de estudantes e familiares dos acusados que durante mais de duas horas mostraram o seu apoio e solidariedade com a juventude saharaui.

Para mais informações, consulte o relatório publicado:
https://es.scribd.com/document/364601017/Information-Saharawi-Student-prisoners-Group-Companions-of-El-Uali

e os artigos publicados em PUSL:
https://porunsaharalibre.org/tag/estudiantes-marrakech/

Ayúdanos a difundir >>>