Relatório de Human Rights Watch – Sahara Ocidental

A Organização Human Rights Watch publicou o seu relatório mundial anual onde denuncia os atropelos aos direitos humanos de cada país.

Neste relatório de 2017 da HRW no capítulo sobre Marrocos (ver aqui) a organização denuncia o impasse do processo político para a autodeterminação com pouco envolvimento da comunidade internacional e a recusa detetminante de Marrocos que apenas aceita um plano de autonomia. O relatório alerta para o impedimento sistemático por parte de Marrocos das reuniões de apoio a autodeterminação deste território.

Em relação ao novo julgamento dos presos políticos de Gdeim Izik a HRW afirma que o processo esteve contaminado por violações do devido processo, como por exemplo a aceitação de testemunhos obtidos sob coação sem que houvesse uma investigação prévia e adequada às denuncias de tortura. Alertam para o facto que o código penal continua a punir delitos de expressão não violentos, entre outros “incitar contra a integridade territorial de Marrocos” uma referencia ao Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos impede visita familiar a preso politico saharaui

Mohamed Ali Haddi foi impedido de visitar o seu irmão Mohamed Lamin Haddi, preso politico do grupo de Gdeim Izik com a justificação que o director da prisão de Tiflet 2 está de férias.

Os visitantes dos presos marroquinos não foram impedidos de visitar os familiares apesar das “férias” do director.

A prisão de Tiflet 2 está a 1227km de distancia de El Aaiún no territórios ocupados, cidade onde reside a familia.

Mohamed Lamin Haddi esteve em greve de fome prolongada após a dispersão do grupo de Gdeim Izik em setembro passado por 7 prisões no reino de Marrocos.

Em Dezembro a administração das Penitenciárias prometeu que Haddi iria ser transferido para junto de outros membros do grupo de Gdeim Izik para uma prisão onde pudesse prosseguir os seus estudos, passados mais de um mês a promessa não foi comprida. Read more

Ayúdanos a difundir >>>