Presos politicos saharauis em greve da fome em perigo de vida

Ontem, o irmão do preso político saharaui Sidi Abdallahi Abbahah visitou-o na prisão de Kenitra e disse-nos que a situação é alarmante.

O Sr. Abdallahi Abbahah informou o seu irmão que:

– Tem dores intensas no corpo
– Tem apenas um cobertor no chão e outro para se cobrir, mas muito fino e sofre de frio intenso
– Tem visão dupla
– Solicitou água engarrafada várias vezes, mas os guardas recusam-se a dar-lhe e disseram: “podes morrer ou viver nós não nos importamos contigo”. Sal e açúcar também são negados.
– Não tem conhecimento sobre a situação dos seus companheiros de prisão em greve de fome, não sabia se eles estavam vivos ou mortos, se eles continuam ou não a greve de fome
– Não foi visitado pelo médico

Abdallahi Abbahah disse que continuará a sua greve de fome até que suas exigências sejam atendidas, respeitando os seus direitos básicos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Acordo de Pesca entre a UE e Marrocos: Comissão Europeia vai cumprir o acórdão do TJUE

elmoudjahid.com.- A Comissão Europeia vai respeitar o acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), que concluiu em 27 de fevereiro que o acordo de pesca UE-Marrocos não é aplicável ao Sahara Ocidental, disse a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, que salientou que as decisões deste Tribunal são “vinculativas” para as instituições da UE e os seus estados membros.

A Comissão Europeia vai respeitar o acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), que concluiu em 27 de fevereiro que o acordo de pesca UE-Marrocos não é aplicável ao Sahara Ocidental, disse a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, que salientou que as decisões deste Tribunal são “vinculativas” para as instituições da UE e os seus estados membros. “A Comissão respeitará o acórdão do TJUE, cujas decisões são vinculativas para todas as instituições da UE e todos os Estados-Membros”, escreveu ela em resposta ao eurodeputado Miguel Urban Crespo, que instou a Comissão a suspender as negociações sobre o comércio, agricultura e acordos de pesca com Marrocos.

A Alta Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança declarou que a Comissão “tomou nota” do acórdão do TJUE e “examina-o de perto para determinar as consequências e possíveis medidas a tomar”. Referindo-se a outro acórdão do TJUE emitido em 21 de dezembro de 2016, a chefe da diplomacia europeia reconheceu que o Acordo de Associação UE-Marrocos “não prevê atualmente qualquer base legal para a concessão de preferências pautais aos produtos provenientes do Sahara Ocidental ocupado. Read more

Ayúdanos a difundir >>>