Sahara Ocidental: A missão da França é diluir e perturbar a doutrina da ONU

Marruecos leaks.– Desde 1963, a ONU pede um referendo no Sahara Ocidental. Quando a Espanha finalizou o censo da população em 1974 e anunciou à ONU sua disponibilidade para realizar o referendo de autodeterminação, Marrocos interveio para abortá-lo.

Em 1991, Hasan II, vendo que o seu fim estava próximo e que queria legar ao seu filho um Marrocos estável, decidiu terminar a guerra no Sahara, e aceitou o cessar-fogo e referendo de acordo com a proposta das Nações Unidas .

Graças à intervenção da França e dos Estados Unidos, Marrocos anuiu a partir da promessa de Javier Perez de Cuellar que o censo da população saharaui seria estendido aos habitantes das regiões do sul de Marrocos (Tan-Tan e Gulimim).

Quando a operação de identificação dos eleitores terminou, e sabendo Rabat que iria perder a votação num referendo pediu a intervenção da França para esta opção ser removida da terminologia seguida pela ONU para acabar com este conflito de décadas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>