Jovem saharaui entre a vida e morte por gritar “Autodeterminação”

PUSL.- A 28 de Junho, no primeiro dia da visita de Horst Koehler, enviado pessoal do Secretário Geral das Nações Unidas para o Sahara Ocidental, a El Aaiun, a policia atacou violentamente a população saharaui que saiu às ruas para deixar uma mensagem clara a ONU: Maghreb Barra, Labadil Labadil antakrir el Massir – Marrocos Fora – não há outra solução que não seja a autodeterminação.

Durante a repressão aos manifestantes um carro da polícia atropelou e feriu fatalmente o jovem Ayoub Ali Elghan. Segundo as testemunhas presentes o carro empurrou o jovem contra um muro onde o “esmagou”. A familia informou que no hospital foi diagnosticado com fractura da bacia e várias outras fracturas, hemorragias internas, ferimentos na cabeça.

No dia 29 de Junho o jovem que entrava e saía de coma e cuja situação é muito critica, foi transferido para um avião fretado para o transportar acompanhado da sua mãe para um hospital em Marrakesh, fora dos territórios ocupados. O avião teve uma avaria e regressou a El Aaiun.

Ayoub encontra-se no hospital de El Aaiun e em estado muito grave.

As autoridades marroquinas receando o pior filmaram Ayoub no hospital e obrigaram-no a dizer que não foi um carro da Policia mas sim um carro civil que o havia atropelado junto das vivendas na Avenida Smara, fazendo circular o video nas redes sociais. (ver video 1)

Esta montagem à moda das autoridades marroquinas é facilmente desmentida uma vez que ha fotos dos jovens que o transportaram após o atropelamento no Bairro Zemla, perto do Club Rojo. Os jovens para não serem identificados pela policia colocaram mascaras nas caras. (ver fotos 1 e 2). O bairro Zemla encontra-se a cerca de 2km de distância da Avenida Smara.

Os ataques, atropelamentos, espancamentos, torturas e sequestros de jovens saharauis pelas autoridades marroquinas é o dia a dia que se vive nos territórios ocupados.

O facto de a visita de dois dias de Horst Koehler não ser acompanhada por nenhuma imprensa estrangeira não é casualidade, mas sim censura de Marrocos que não deixa entrar jornalistas que não estejam ao serviço de sua majestade no território.

Ayoub, jovem saharaui de 18 anos, é estudante e nesse dia saiu à rua como quase toda a população saharaui para de forma pacífica demonstrar a Horst Koehler que nenhum saharaui aceita a proposta de plano de autonomia de Marrocos nem a integração do território no Reino Alauíta que invadiu o Sahara Ocidental em 1975 com colonos e uma contigente militar e bombardeou a população com Napalm e fosforo branco. Ayoub apenas queria gritar Marruecos Barra, Labadil Labadil Antekrir El Massir, e provavelmente irá pagar com a vida a sua audácia. Uma vitima mais entre as centenas de milhares de vidas que Marrocos destrói perante o silêncio da comunidade internacional.

Video:

Fotos 1 y 2:

Ayúdanos a difundir >>>