“Um fio de esperança” independência ou guerra no Sahara Ocidental

jornaltornado.pt.- O documentário “Um fio de esperança” independência ou guerra no Sahara Ocidental, da Projeto Nomos, dos realizadores brasileiros Rodrigo Duque Estrada e Renatho Costa, mostra a dura realidade do povo saharaui, os habitantes da última colónia de África.

Negligenciado pelo mundo, o Sahara Ocidental é um dos conflitos de independência mais longos da actualidade. O documentário conta a história da resistência do povo saharaui, que há 27 anos espera a realização de um referendo de autodeterminação, e explora a frustração crescente desse povo com o processo de paz da ONU, seja nos acampamentos de refugiados, nas zonas libertadas ou nos territórios ocupados há mais de 40 anos pelo Marrocos. O documentário também questiona a posição de neutralidade do Brasil, que é um dos únicos países na América Latina que ainda não reconhecem a independência do Sahara Ocidental, contribuindo para a normalização de uma violência sistemática contra os saharauis e o saqueio das riquezas de sua terra. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos – negligência médica intencional de preso político saharaui

El Wafi Wakari, estudante saharaui e preso político do grupo Companheiros de El Wali, foi impedido de receber tratamento médico desde a sua detenção em janeiro de 2018, embora tenha sido diagnosticado após a sua detenção e os médicos marroquinos terem informado que ele necessita de cirurgia urgente.

Depois de inúmeras queixas da família às autoridades marroquinas e ao CNDH (Conselho Nacional de Direitos Humanos), e aos mecanismos da ONU para os direitos humanos e também várias intervenções feitas no parlamento europeu por deputados sobre este caso, a situação médica não melhorou e as autoridades marroquinas continuam a maltratar Wakari, recusando-lhe tratamento médico.

A advogada francesa que agora representa este prisioneiro político, Maître Marie ROCH enviou uma queixa detalhada às autoridades marroquinas, enfatizando a violação da própria lei marroquina. Read more

Ayúdanos a difundir >>>