Jornalistas saharauis condenados a dois anos de prisão

PUSL.- Mohamed Salem Mayara, jornalista e Mohamed Alchomyai reporter de imagem foram condenados a 2 anos de prisão no passado dia 5 de Setembro, pelo tribunal de primeira instância de El Aaiun capital dos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Os dois jornalistas pertencem à equipa da “smara news” um meio de comunicação saharaui, difundido nas redes sociais para romper o silêncio e blackout mediatico imposto pelo Reino de Marrocos que ocupa o território do Sahara Ocidental de forma ilegal atravez de uma presença militar, para militar e policial que mantem a população saharaui sob um dominio de terror , sequestros, tortura apartheid, social, politico e economico desrespeitando em absoluto as resoluções das Nacões Unidas.

Os dois jornalistas estavam a documentar um manifestação pacifica quando foram detidos a 27 de Março deste ano.

Vitimas de tortura e maus tratos foram obrigados a assinar documentos redigidos pelas autoridades marroquinas cujo conteudo desconheciam.

O julgamento não respeitou os principios básicos legais, nem foi aberta investigação relativamente à forma como foram obtidas as assinaturas.

Acusados de “formação de uma organização para cometer actos delinquentes e organizar uma manifestação violenta”, estes jornalistas são dois mais silenciados pelas autoridades de ocupação que já têm encarcelados quase uma dezena de jornalistas saharauis, alguns com condenação a prisão perpetua.

Ayúdanos a difundir >>>