Carta ao SG NNUU de jovens saharauis entregues pela MINURSO às autoridades marroquinas

PUSL.- Abaixo a carta enviada esta manhã por dois jovens estudantes saharauis que conseguiram entrar na sede da MINURSO em Smara, Territórios ocupados do Sahara Ocidental, apesar dos múltiplos checo-points.

Os dois jovens Said Abba Sheikh e Mohammed Ahmed Taleb Ahmad estavam cientes que o mais provável seria a MINURSO entregar os manifestantes às autoridades de ocupação, como têm feito ao longo dos anos com vários saharauis que procuraram e pediram segurança para a sua integridade física a esta missão da MINURSO.

De facto pouco tempo depois de entrarem na área da MINURSO os funcionários da missão de “paz” entregaram os dois jovens ao exercito marroquino que os transportou para o quartel da Gendarmarie Royal.

Na carta que tinham enviado antes desta acção de protesto ao SG, António Gueterres foram muito claros, as revindicações apresentadas são as do povo saharaui- o direito à autodeterminação o fim da violência exercida contra a população e o respeito pelos direitos humanos mais básicos.

Os dois jovens estão dispostos a arriscar as suas vidas para enviar esta simples mensagem ao Secretário Geral, será que alguém os vai ouvir?

Smara / Sahara Ocidental 18/09/2018

De:
Saïd Abba Sheikh; estudante saharaui na universidade de Fés, Marrocos.

Mohammed Ahmed Taleb Ahmad; estudante saharaui na universidade de Agadir, Marrocos.

Ao distinto secretário geral:

Assunto: Assentada

Estamos a escrever-lhe esta carta depois de termos decidido fazer uma concentração na sede da MINURSO em Smara, estamos conscientes do perigo em que nos colocamos e temos a certeza de que as autoridades marroquinas nos irão punir por tomar esta decisão, baseado em experiências semelhantes de pessoas que pensavam que entrar na sede da MINURSO garantiria a sua dignidade e segurança física, mas isso não aconteceu. Além disso, em alguns casos, foram entregues à polícia marroquina pela MINURSO, onde foram insultados, numa tentativa de diminuir o papel das Nações Unidas na garantia da paz, segurança e estabilidade. E assim decidimos enfrentar e assumir o risco porque acreditamos na nossa causa nobre que merece tudo para ser defendida.

Sr. Secretário Geral nós, como jovens saharauis, gostaríamos que você ouvisses nossas vozes usando todos os meios e ferramentas disponíveis sob o blackout dos meios de comunicação e o encerramento do território às organizações internacionais de direitos humanos, meios de comunicação internacionais e observadores internacionais, e queremos enfatizar que a juventude do Sahara Ocidental está deprimida e sem esperança por causa da marginalização, exclusão e opressão enquanto a comunidade internacional está silenciosa, este silêncio está representado nos membros da sua missão que existe há mais de duas décadas, mas não vemos nenhum vislumbre de esperança de acabar com o sofrimento do povo saharaui que sofre separação e deslocamento, enquanto a ocupação marroquina está a saquear os recursos naturais e, por outro lado, utiliza
a força e violência contra qualquer um que reclame os seus direitos básicos ou se manifesta contra esta situação insuportável.

Sr. Secretário Geral, estamos em protesto hoje na sede da MINURSO, mas não queremos isolar as nossas reivindicações das exigências gerais dos saharauis durante mais de 40 anos, sendo a primeira exigência a autodeterminação e a proteção dos seus direitos. Gostaríamos de chamar a vossa atenção para o sofrimento da juventude saharaui que se depara com um destino incerto devido à opressão do Marrocos, que utiliza, por um lado, a propaganda e, por outro lado, a violência e a repressão. Milhares de saharauis que obtiveram certificados de ensino superior não têm emprego, além de milhares de estudantes saharauis que estudam em universidades marroquinas em condições inadequadas que os impedem de continuar os seus estudos.

Sr. Secretário Geral, esperamos que você intervenha e use todos os poderes para acabar com essa situação inaceitável.
Por favor, aceite as garantias da nossa mais alta consideração.

:
Said Abba Sheikh
Mohammed Ahmed Taleb Ahmad

Ayúdanos a difundir >>>