Presos politicos saharauis vitimas de envenamento na prisão de Ait Melloul

PUSL.- Mohamed Bani, Brahim Ismaili, Sidahmed Lemjeyid e Mohamed Lefkir estiveram 20 dias em condições de saúde deploráveis devido a comida envenanada que a administração da prisão deu apenas aos presos saharauis segundo informações das suas familias.

Durante todo o tempo que estiveram com vómitos, diarreia, pernas inchadas e com fadiga intensa nunca foram vistos por um médico apesar dos pedidos que fizeram.

Segundo informação das familias Ismaili, Lefkir, Bani e Lemjeyid comerçaram a desconfiar que não se tratava de uma doença normal, uma vez que os 4 presos não estão nem nos mesmos modulos, nem se encontram nos pátios e decidiram parar de ingerir a comida que lhes davam, recuperando rapidamente.

A situação dos presos politicos do Grupo de Gdeim Izik é alarmente e piora cada dia.

A repsonsabilidade da integridade fisica destes presos politicos é da responsabilidade de Marrocos, mas também das Nações Unidas que permitem o sequestro de civis saharauis para o Reino de Marrocos e a aplicação de tortura, maus tratos, negligencia médica e assassinatos.

Lembramos que ao longo dos anos vários presos politicos saharauis morreram durante a custódia e em prisões marroquinas sem haver nunca uma investigação, nem são feitas autopsias, muitos vezes nem os corpos são devolvidos à familia para um funeral digno.

Ayúdanos a difundir >>>