Marrocos: lento asassinato de presos politicos saharauis

PUSL.- Marrocos além de ignorar as decisões e recomendações da ONU e dos seus mecanismos na area dos direitos humanos agrava a situação dos presos politicos saharauís que estão sujeitos a represalias constantes.

El Bachir Khadda do grupo de Gdeim Izik terminou uma greve de fome que durou 43 dias e encontra-se num estado de debilitação fisica extrema. A direcção da prisão Tiflet2 onde está detido não enviou até ao momento nenhum médico ou enfermeiro para avaliar a situação de Khadda.

Este Jornalista e activista de Direitos Humanos esta incapacitado de se manter em pé, está numa cadeira de rodas sem que os guardas lhe ajudem a movimentar-se. Em confinement prolongado numa cela sem o minimo de condições e sem acesso a comida adequada.

Abdallah Abbahah outro preso politico do grupo de Gdeim Izik, detido na mesma Prisão está em greve de fome há 33 dias, num cela fria, sem qualquer tipo de mobiliário, apenas com tres cobertores finos e agua para beber. Read more

Ayúdanos a difundir >>>