Mohamed Ayoubi – sem justiça um ano após o seu falecimento

PUSL.- Mohamed Ayoubi preso politico de Gdeim Izik em liberdade condicional faleceu a 22 de Fevereiro de 2018 em El Aaiún, a primeira vitima mortal deste grupo de heróis nacionais saharauis, injustamente condenados pelo regime ocupante a penas de 20 anos a perpetua. Marrocos é responsável por mais esta morte num longo historial de assassinatos, torturas, desaparecimentos forçados, bombardeamentos, o lento genocídio do povo saharaui só terá fim no dia em que Marrocos saia dos territórios ocupados e a comunidade internacional assuma a sua responsablilidade.

Ayoubi que foi detido pelas autoridades de ocupação marroquinas durante o desmantelamento de Gdeim Izik a 8 de Novembro de 2010, vitima de violação e torturas físicas e psicológicas durante vários dias tanto na sede da Gendarmaria como na esquadra da Policia em El Aaiún, Sahara Ocidental, foi transferido com vários presos do grupo de Gdeim Izik no dia 11 de Novembro para Salé Rabat no Reino de Marrocos.

Devido à tortura sofrida, teve que se manter numa cadeira de rodas durante o seu tempo de detenção em Salé 2 até ao dia 12 de Janeiro de 2011 quando o transferiram ao hospital Souissi Rabat onde ficou internado até ao dia 28 de Fevereiro 2011. Read more

Ayúdanos a difundir >>>