Caso Polisario revela altos riscos por trás do entusiasmo ESG (critério ambiental, social e de governança) dos investidores

A acção judicial sobre o território africano em disputa afecta as ligações da UE com Marrocos

Financial Times / JOHN DIZARD. .- O que os militares chamam de guerra assimétrica – guerrilheiros lutando contra exércitos regulares – chegou ao mundo da conformidade.

Movimentos políticos com poucos ativos financeiros, sem falar na superioridade militar, podem ganhar na justiça contra os atores corporativos ou do governo.

Graças à sua capacidade de usar os seus ganhos, influenciando trilhões de dinheiro dos investidores, ou sensíveis fundos soberanos, eles podem gerar um enorme efeito.

Por exemplo o caso no Tribunal Europeu de Justiça em 29 de abril pela Frente Polisário, um grupo político que exige total soberania para o Sahara Ocidental ocupado pelos marroquinos. Seus advogados afirmam que Bruxelas está a violar a lei de direitos humanos da UE ao permitir, até encorajar, a importação de recursos naturais do território. Read more

Ayúdanos a difundir >>>