Marrocos não quer testemunhas e expulsa cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses de El Aaiún

– O regime marroquino não quer presença internacional no julgamento contra a jornalista saharaui Nazha El Kalhidi
– Advogados espanhóis são credenciados pelo Conselho Geral de Direito Espanhol
– “É proibido entrar em El Aaiún”, explicação da polícia marroquina

Alfonso Lafarga (Contramutis).- Marrocos impediu cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses a entrar em El Aaiun, capital do Sahara Ocidental, onde tinham viajado para assistir ao julgamento contra a jornalista saharaui Nazha O Kalhidi acusada ​​de excercer a profissão sem qualificações formais.

“É proibido entrar em El Aaiún”, foi a única explicação recebida pelos advogados Sidi Telebbuia, de Madrid; Ramon Campos Garcia e Maria Lourdes Baron Jaques de Zaragoza e Lala Travieso Darias e Ruth Sebastian, de Las Palmas, todos credenciados pelo Conselho Geral Espanhol de Advogados e Observadores noruegueses da Fundação Rafto para os Direitos humanos Vegard Fosso Smievoll e Kjersti Brevik Moeller. Read more

Ayúdanos a difundir >>>