Julgamento contra Nazha Khatari El-Khalidi adiado para 24 de junho

PUSL, 20 de maio de 2019 .- De acordo com as informações da Equipe Media, o julgamento da activista saharaui e jornalista da Equipe Media, Nazha Khatari El-Khalidi, foi adiado para 24 de Junho.

O adiamento do processo contra El Khalidi foi justificado pelo tribunal com a necessidade de inspecionar mais pormenorizadamente o conteúdo do telemóvel de El Khalidi que foi confiscado pela polícia no início de dezembro do ano passado.

El Khalidi enfrenta graves acusações por filmar uma manifestação pacífica de cidadãos saharauis nas ruas de El-Aaiún, capital do Sahara Ocidental ocupado pelo Reino de Marrocos desde 1975.

No contexto do mesmo processo judicial, em 19 de maio, as forças de ocupação marroquinas expulsaram sete observadores internacionais que pretendiam comparecer ao julgamento. Os cinco advogados espanhóis e dois membros noruegueses da Fundação RAFTO que pretendiam observar os procedimentos do julgamento foram expulsos sem qualquer outra justificação “que é proibido entrar no Sahara Ocidental” no controlo fronteiriço no aeroporto de El Aaiun pelas autoridades marroquinas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

20 de Maio de 1973 – primeira acção armada da Frente Polisário contra o colonialismo espanhol

PUSL.- A 20 de Maio de 1973, apenas dez dias após a sua fundação, a Frente Polisario realizou a sua primeira acção armada contra o colonialismo espanhol. O alvo foi o posto da policia de El Janga.

Esta acção foi a primeira que marcou o inicio da guerra de libertação e que rapidamente ultrapassou a capacidade de resposta de Espanha e o seu controle sobre o território saharaui.

As ações seguintes fortaleceram o prestigio da Frente Polisario não só perante a população saharaui como também entre os saharauis que serviam no exercito colonial espanhol.

A história é conhecida, Espanha vendeu o território e os seus habitantes como se tratassem de um rebanho de cabras a Marrocos e Mauritânia, cedendo este país riquíssimo nos acordos de Madrid, de forma ilegal e criminosa.

Seguiram-se os bombardeamentos de Napalm e Fósforo Branco, a Marcha Negra (chamada de verde pelos Marroquinos), milhares de mortos, torturados, desaparecidos e uma guerra de resistência e valentia dos Saharauis até 1991, quando foi assinado o cessar-fogo. Read more

Ayúdanos a difundir >>>