Diplomacia e relações internacionais mantêm os Saharauis em agonia há mais de quatro décadas

Atabongwoung Gallous – Presidente da África Solidária com o Sahara

PUSL.- No dia 23 de maio de 2019, antes da celebração do Dia da África. O Professor John Trimble organizou um Fórum do Dia da Libertação Africana na Igreja Elim Full Gospel em Pretória sobre o tema – o Pan-africanismo Revolucionário nos chama para unir e forjar uma luta definitiva contra o neocolonialismo: Encaminhar para uma África socialista unificada.

O tema é extremamente interessante, mas tive de me debruçar sobre o caso do Sahara Ocidental / República Democrática Árabe Saharaui – a última colônia da África como projeto de descolonização atrasado. Que até agora, entre outras coisas, está em não-conformidade com os sonhos e aspirações da Unidade Africana e do socialismo africano ou comunismo africano, como o professor Vusi Gumede argumentaria.

E enquanto houver uma celebração do dia da África a cada 25 de maio, é evidente que a comunidade Saharaui na Diáspora, nos campos de refugiados e no território ocupado têm um sentimento contrário contra a opinião populista dos africanos que transgrediram o estado de mercantilização da escravidão. o comércio de escravos e o colonialismo.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Saharaui de 14 anos preso, espancado e maltratado pela polícia marroquina

PUSL / Jornal Tornado .- M’barek Mohamed Bani, um aluno saharaui de 14 anos, foi vítima de detenção arbitrária no passado sábado, 25 de maio de 2019.

M’barek estava a participar numa manifestação pacífica na cidade de El Aaiun, no Sahara Ocidental ocupado, quando a polícia marroquina o prendeu sem motivo. Não lhe foi mostrado nenhum mandato de captura ou informado sobre as razões de sua prisão e levado para a esquadra de polícia na rua Boucraa.

Após chegar à esquadra, as forças de ocupação marroquinas pegaram no seu telefone e viram seu conteúdo. Quando viram que M’barek usava a bandeira da República Democrática Árabe Saharaui como imagem de perfil, começaram a cuspir na cara dele. Vendo que ele também tinha fotos da Frente POLISARIO, começaram a bater nele com os punhos. O jovem estudante tentou proteger a cabeça e o rosto o melhor que pôde, enquanto um dos policiais o segurava e outros o espancavam.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>