Saharaui de 14 anos preso, espancado e maltratado pela polícia marroquina

PUSL / Jornal Tornado .- M’barek Mohamed Bani, um aluno saharaui de 14 anos, foi vítima de detenção arbitrária no passado sábado, 25 de maio de 2019.

M’barek estava a participar numa manifestação pacífica na cidade de El Aaiun, no Sahara Ocidental ocupado, quando a polícia marroquina o prendeu sem motivo. Não lhe foi mostrado nenhum mandato de captura ou informado sobre as razões de sua prisão e levado para a esquadra de polícia na rua Boucraa.

Após chegar à esquadra, as forças de ocupação marroquinas pegaram no seu telefone e viram seu conteúdo. Quando viram que M’barek usava a bandeira da República Democrática Árabe Saharaui como imagem de perfil, começaram a cuspir na cara dele. Vendo que ele também tinha fotos da Frente POLISARIO, começaram a bater nele com os punhos. O jovem estudante tentou proteger a cabeça e o rosto o melhor que pôde, enquanto um dos policiais o segurava e outros o espancavam.

Após 4 horas de espancamentos, insultos e ameaças, M’barek foi libertado sem qualquer explicação, mas antes foi obrigado a assinar um documento dizendo que ele tinha atirado pedras. M’barek denuncia este documento como falsa acusação, mas foi forçado a assiná-lo sob maus tratos e coação extrema.

O jovem aluno do 7º ano afirma que não atirou pedras e que participou apenas em manifestações pacíficas exigindo a libertação do seu pai, Mohamed Bani. O seu pai é um dos presos políticos saharauis do Grupo Gdeim Izik e foi condenado a prisão perpétua.

Testemunho de M’barek Mohamed Bani, 14 anos de idade sobre a sua prisão arbitrária em 25 de maio de 2019 dado a Equipe Media

Meu nome é M’barek Mohamed Bani
Tenho 14 anos
Eu sou o filho do prisioneiro político saharaui Mohamed Bani detido com o Grupo Gdeim Izik
Estou no 7º ano
Eu estava a participar numa manifestação pacífica
quando a polícia marroquina me prendeu
Levaram-me para a esquadra
na rua Boucraa
O lugar onde eles fazem as identificações
Eles pegaram no meu telemóvel e ligaram-no
E descobriram que uso a bandeira da RASD (República Democrática Árabe Saharaui) no meu perfil
Então eles cuspiram na minha cara
Eles também encontraram fotos da Polisario
E me bateram com os seus punhos
Eu me curvei assim e deixei-os bater
Um arrastou-me para baixo enquanto o outro me dava estaladas
Eu tentei proteger a minha cabeça e a minha cara
O meu telemóvel foi esmagado
Eu fui acusado de atirar pedras
Eu nunca atirei pedras
Eu só participo em manifestações pacíficas
Para pedir a libertação do meu pai

Ayúdanos a difundir >>>