III ANIVERSÁRIO DA MORTE DO PRESIDENTE MOHAMED ABDELAZIZ

Mohamed Abdelaziz deixou um legado de luta, honra, justiça, respeito e carinho. Um estadista, um bom homem e um exemplo que conseguiu unir todo um povo apesar da separação física e dispersão dos saharauis por vários territórios e continentes.

A sua jornada foi árdua, a sua abnegação conhecida, a sua ausência é dolorosa, mas o seu sonho não morreu, a luta continuará até a vitória final.

 

Mohamed Abdelaziz (محمد عبد العزيز) nasceu em 1948 em Smara no Sahara Ocidental, na época colônia espanhola, mais tarde província 53, e morreu na manhã de 31 de maio de 2016 aos 68 anos.

Foi Secretário Geral da Frente Polisario e Presidente da República Árabe Saharaui Democrática (RASD) até ao dia da sua morte.

O líder histórico do povo saharaui foi um dos fundadores em 1968 do Movimento Nacional de Libertação Saharaui, liderado por Mohamed Sidi Brahim Basiri, o primeiro movimento que utilizou a luta armada contra o colonialismo espanhol. Em 1973, Abdelaziz foi um dos fundadores da Frente de Libertação de Saguia El Hamra e do Rio de Ouro (Frente Polisario), sendo um dos membros do Bureau Político.

Em 1974 realizou-se o segundo congresso da Polisário, no qual ele não só foi novamente confirmado como membro do Bureau Político, como também foi nomeado chefe da organização política clandestina da Frente Polisário. Após a vergonhosa retirada da Espanha em 1976 e até 1978, ele foi chefe da região militar nº 1 na guerra contra o Marrocos e a Mauritânia.

abdelaziz

Em agosto de 1978, durante o terceiro congresso do Polisario, ele foi eleito secretário geral do movimento, substituindo Mahfud Ali Beiba, que assumira o cargo de Secretário-Geral Interino depois da morte de El-Sayed Mustafa Uali. Abdelaziz também foi eleito presidente da República Árabe Saharaui Democrática (RASD).

Ele manteve ambas as posições até a sua morte, tendo sido reeleito sucessivamente no Congresso.

O Presidente Abdelaziz viveu nos campos de refugiados saharauis em Tindouf, na Argélia.

A sua carreira política foi caracterizada como nacionalista secular. Ele liderou a Polisario e a RASD depois de uma guerra pela independência, o cessar-fogo e negociações de 1991 sob os auspícios da ONU, com o objetivo de realizar um referendo sobre a autodeterminação.

Um amado líder

Conhecido como um homem calmo, culto, multilingue, nacionalista carismático e patriótico, foi amado por todo o povo saharaui.

Mohamed Abdelaziz disse que os saharauis sem a sua pátria não tinham existência; infelizmente, ele não viveu o suficiente para ver o seu país livre e independenten e o seu povo libertado do opressivo jugo do Marrocos.

Ayúdanos a difundir >>>