Mohamed VI reitera que não está disposto a respeitar as decisões da ONU para um referendo no Sahara Ocidental

PUSL.- Em seu discurso no trono, o rei marroquino Mohamed VI afirmou, em relação ao Sahara Ocidental, que “Marrocos permanece decidido e sinceramente comprometido com o processo político, sob a égide exclusiva da Organização das Nações Unidas”, mas no parágrafo seguinte contradiz esta declaração imediatamente ao reiterar que ” o caminho para alcançar o acordo desejado não pode ser outro senão através da plena soberania marroquina e no âmbito da iniciativa de autonomia “.

Mais uma vez, Marrocos deixa claro, o rei e o seu séquito estão determinados a continuar a ocupação do Sahara Ocidental, que invadiram em 1975. O acordo de cessar fogo, assim como todas as decisões da ONU, não são algo a ser levado em consideração. a única “negociação” válida para Marrocos é rejeitar todas as decisões da ONU, do Tribunal Internacional, da União Africana e do Tribunal de Justiça da União Européia e implementar o “plano de autonomia”. Marrocos não quer respeitar o que assinou e, por alguma razão, isso parece não incomodar a ONU e especialmente o Conselho de Segurança.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>