76 organizações denunciam e condenam a ocupação marroquina e genocidio do povo Saharaui em carta ao Conselho de Segurança

Aos honoráveis membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Desde 19 de julho de 2019, a cidade ocupada de El Aaiun, no Sahara Ocidental, foi sitiada e a população saharaui está sob um ataque brutal das forças marroquinas. Esta escalada da situação no terreno deve-se ao silêncio da comunidade internacional e, em particular, à ausência de um mandato que inclua um mecanismo para a proteção da população civil na MINURSO.

Até mesmo crianças foram brutalmente espancadas e vítimas de detenção arbitrária. Ninguém está seguro. As forças de ocupação marroquinas usaram bastões, gás lacrimogêneo, canhões de água, balas de borracha e pedras. Centenas de membros das forças de segurança marroquinas, incluindo policiais, gendarmes e forças paramilitares, participaram dos ataques violentos que causaram centenas de vítimas. Ataques e incursões de noite e dia nas casas dos saharauis, com a destruição dos seus pertences e prisões arbitrárias, continuam. Pessoas feridas não podem ir ao hospital por medo de serem presas imediatamente. Em 20 de julho, a saharaui de 24 anos, Sabah Othman Ahmeida, foi atropelada por um veículo das autoridades marroquinas e, como resultado, sofreu ferimentos que lhe causaram a morte.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>