Polisário partilha a preocupação do Secretário-Geral das Nações Unidas sobre a situação actual na região El Guergarat no Sahara Ocidental

Bir Lahlou, (territórios libertados), 26/02/17 (SPS)

A Frente POLISARIO disse no domingo que “partilha a preocupação do Secretário-Geral da ONU sobre a situação actual na região de El Guergarat no Sahara Ocidental e apoia o seu apelo para o respeito pelo espírito e letra do cessar-fogo em vigor desde 1991 como parte da implementação do plano de paz da ONU e da OUA, cujo objectivo continua a ser a realização de um referendo sobre a autodeterminação do povo do Sahara Ocidental “.

A Frente POLISARIO reiterou num relatório divulgado hoje que a situação em El Guergarat não é um episódio isolado e “não havia estradas na época de estabelecimento do cessar-fogo, nem tráfego comercial entre o muro de ocupação marroquina e a fronteira com a Mauritânia. A existência de tal tráfego hoje, é uma violação do estatuto do território e do cessar-fogo “.

“A decisão de Marrocos hoje em recuar as suas tropas algumas centenas de metros, perto de El Guergarat é uma cortina de fumaça que não esconde o desprezo de Rabat pelo direito internacional, a sua obstinação e rejeição de quase três décadas de aplicação das resoluções do Conselho de segurança e da Assembléia Geral sobre o Sahara Ocidental “. Read more

As declarações e decisões do Presidente da RASD em Guergarat aumentam a moral do povo saharaui

Presidente de la RASD, Brahim Gali, en Guerguerat

Presidente de la RASD, Brahim Gali, en Guerguerat

Fonte: Equipe Media

A visita de Brahim Ghali, presidente da RASD, Secretário-Geral da Frente Polisário e Comandante Supremo do Exército Popular de Libertação Saharaui- a todas as regiões militares e que terminou na região de Guergarat aumentou muito e incentivou a autoconfiança da população do povo saharaui.

O presidente reuniu-se com os combatentes da primeira região militar, que estão em Guergarat frente a frente com o exército de ocupação, e deu ordens para construir postos de segurança e postos de controle e vigilância enviando assim uma mensagem ao nosso povo, ao inimigo e ao mundo em geral, tornando-se claro que a batalha ainda não acabou e não terminará até que a libertação do Sahara Ocidental das garras da ocupação marroquina esteja concluído.

O ex-prisioneiro de guerra e ex-preso político saharaui Sidi Mohamed Dadach disse em declarações à Equipe Media sobre a ronda de Brahim Ghali: “Eu não quero novamente uma guerra, pois as consequências seriam muito caras para os povos da região; Exijo a França, Espanha e aos Estados do Golfo para pressionar o seu aliado, Marrocos, para evitar a destruição e devastação que resultaria do desrespeito continuo e desprezo de Marrocos das decisões da legalidade internacional “. Read more

PEV questiona Governo sobre violação de cessar fogo em Guergarat

14 de setembro de 2016, porunsaharalibre.org

Partido Ecologista os Verdes enviou pregunta escrita dirigida ao Ministério dos Negócios Estrangeiros pelos Srs. Deputados José Luís Ferreira e Heloísa Apolónia sobre a violação do cessar-fogo por parte de Marrocos no Sahara Ocidental.

Os deputados do PEV pediram ao Presidente da Assembleia da República que remetesse ao Governo a pergunta, para que o Ministério dos Negócios Estrangeiros possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1- Qual a posição do governo português relativamente à violação do cessar-fogo por parte de Marrocos no Sahara Ocidental?
2- O que considera o Ministério dos Negócios Estrangeiros que a ONU deve fazer nesta situação?
3- Vai o Governo português tomar alguma medida ou posição sobre o conflito no Sahara Ocidental?
4- Qual a posição do Governo português sobre a expulsão dos membros da MINURSO por parte de Marrocos? Read more

Segundo Innercitypress a ONU pretende terminar a estrada de asfalto iniciada por Marrocos em Guergarat

guergarat

9 de setembro de 2016 – porunsaharalibre.org

Segundo informação da Innercitypress existe a possibilidade que as Nações Unidas terminem a estrada de asfalto iniciada de forma ilegal e em violação do acordo de cessar fogo por Marrocos em Agosto passado na zona de Guergarat.

Desde o inicio desta obra e do destacamento de militares marroquinos para esta zona tampão a situação tem se agravado e houve uma clara subida de tensão entre Marrocos e Polisario.

Apesar dos saharauis apelarem repetidamente a ONU para intervir nesta clara violação dos acordos firmados por parte de Marrocos, tem-se assistido a uma impassividade total.

Após 25 anos de mentiras por parte da comunidade internacional que não faz cumprir as resoluções aprovadas para a realização do referendo, a população saharaui chegou ao limite da paciência. Read more

Representante da Polisario na ONU reúne-se com o presidente do CS para abordar a situação em Guergarat

Representante Polisario ante la ONU, Ahmed Bujari

Nueva York, 08/09/2016 (SPS)

O representante da Frente Polisario na ONU, Ahmed Boukhari foi recebido quarta-feira em Nova Iorque pelo Presidente do Conselho de Segurança da ONU, o Sr. Gerard Van Boheman com quem abordou a situação na área de Guergarat.

Durante a reunião, o Sr. Bukhari informou o presidente do Conselho de Segurança sobre a situação criada em El Guergarat após a violação por parte de Marrocos do acordo de cessar-fogo acordado entre a Frente Polisário e Marrocos, sob os auspícios das Nações.

O Sr . Bukhari transmitiui ao Sr. Van Boheman a posição assumida pela Frente Polisário para enfrentar a provocação de Marrocos, que “põe em risco a possibilidade de uma solução pacífica e constitui uma ameaça directa para a estabilidade e a segurança na região.”

Bukhari reiterou o apelo para “a necessidade urgente do Conselho de Segurança assumir a sua responsabilidade de evitar que a situação criada unilateralmente por Marrocos conduza a um cenário de conflito aberto com consequências imprevisíveis.” Read more

O vice-ministro Saharaui para a África informa o CPS da UA sobre a violação de Marrocos na área da Guergarat

img-20160830-wa0034

Addis Abeba, 2016/08/30 (SPS)

O ministro delegado saharaui para os Assuntos Africanos, Mayara Jalil Hamdi, foi recebido hoje, na sede da União Africano, em Addis Abeba, Etiópia, pelo Comissário para a Paz e Segurança da União Africana Embaixador Ismail Shargui para informar sobre a posição sobre a recente escalada na zona de El Guergarat.

Neste contexto, o responsável saharaui disse que “a decisão marroquina de entrar na área de El Guergarat é considerada uma perigosa escalada, cujo impacto pode ameaçar seriamente o cessar fogo vigente na região”, acrescentando que, “informar o Conselho de Paz e Segurança da UA sobre a situação e eventos, como foi feito anteriormente com a ONU e a sua missão no Sahara Ocidental (MINURSO), é uma prova de que a parte saharaui entende a gravidade do passo dado pelo lado marroquino “. Read more

A situação tensa em Guergarat

Captura de pantalla 2016-08-29 a las 16.07.30

Por Omar Slama, 29 de agosto de 2016 / porunsaharalibre.org

Os desenvolvimentos na área de Guergarat (extremo sul do Sahara Ocidental) deixa a nú a capacidade da MINURSO para cumprir os seus objectivos: o referendo de autodeterminação, e o principal; o cumprimento do cessar-fogo. A primeira denuncia da Frente Polisario da violação do cessar-fogo por Marrocos já criticava três aspectos mais controversos: Minava o acordo militar No. 1 acordada entre as partes que regula o processo do cessar-fogo, proibindo qualquer acção militar ou criação de instalações na zona tampão (que se estende ao longo de cinco quilómetros do muro marroquino da vergonha), também dá a Marrocos a possibilidade de anexação de uma área fora do cinto e cria uma situação grave de tensão numa área sensível e impede o pleno funcionamento na fronteira mauritana- sahara.

Após esta primeira queixa formal da Frente Polisario nas Nações Unidas, por escrito, o secretário de segurança do Estado, Brahim Ahmed Mahmoud, pediu consultas, ao chefe da MINURSO )Missão das Nações Unidas para um Referendo no Sahara Ocidental) em Tindouf, Dr. Yussef Djedyan, para transmitir o seu forte protesto contra a flagrante violação marroquina ao acordo de cessar-fogo assinado em 1991 entre as partes em conflito. Read more

A Frente Polisario apela à criação de um posto de controle permanente da MINURSO em Guergarat

maktab_1

Chahid El Hafed, 21/08/2016 (SPS)

A Secretaria Permanente do Secretariado Nacional da Frente Polisario apelou, no sábado, às Nações Unidas e ao Conselho de Segurança da ONU para estabelecer um posto de controle e observação permanente na área da Guergarat para prevenir novas violações marroquinas do cessar fogo assinado entre a Frente Polisário e Marrocos em 1991.

A Secretaria Permanente do Secretariado Nacional da Frente Polisario, reuniu-se no sábado, numa sessão extraordinária, presidida pelo Chefe de Estado, SG da Frente Polisario, Brahim Ghali, que pediu à ONU uma ação “imediata e decisiva” para parar estes comportamentos “hostis e irresponsáveis”e fazer cumprir os termos do acordo assinado entre as duas partes em conflito e voltar sem demora o resto da componente civil da MINURSO a exercer as suas funções completas. Read more

O crime em curso de genocídio no Sahara Ocidental por Marrocos

PUSL .- Após a invasão do Sahara Ocidental em 1975 pelo Reino Marroquino e até ao acordo de cessar-fogo em 1991, uma lista interminável de crimes de guerra foi cometida pelos invasores marroquinos contra a população civil saharaui, entre eles o bombardeio com Napalm e Fósforo Branco da população civil, civis lançados de aviões, massacres e assassinatos em massa, desaparecimentos forçados, encarceramento em prisões secretas e tortura de crianças, mulheres e homens, entre outros.

Seria de esperar que, com o acordo de cessar-fogo assinado pelo Reino Marroquino e pela Frente Polisario, o representante legítimo dos saharauis, sob os auspícios das Nações Unidas e da União Africana e com a presença de uma Missão da ONU (MINURSO) no terreno, o Genocídio iria parar, mas não é o caso.

O Reino de Marrocos não apenas não respeita a assinatura do cessar-fogo, tenta ocupar continuamente a região de Guergarat, ampliando a área do território ocupado, mas também ataca a população civil, rouba os recursos naturais e faz acordos comerciais ilegais. O Reino não pára por aí, no entanto, também expulsou funcionários da MINURSO sem qualquer represália do conselho de segurança.

Read more

A Frente Polisario destrói as últimas minas terrestres em armazem

Brahim Ghali informou o Secretário-Geral da ONU sobre a destruição do último estoque de minas terrestres armazenadas pela Frente Polisário

Nova York, 10 de janeiro de 2019 (SPS) -O Presidente da República, e secretário-geral da Frente Polisário, o Sr. Brahim Ghali informou o Secretário-Geral da ONU sobre a destruição do último estoque de minas terrestres armazenadas pela Frente Polisário.

Brahim Ghali disse na sua carta que “A destruição do arsenal de minas terrestres é uma demonstração clara da vontade da Frente Polisário a cooperar na limpeza de minas terrestres que espalham o terror, especialmente na parte libertada do Sahara Ocidental”. Read more

Relatório do SG ao Conselho de Segurança sobre o Sahara Ocidental suscita comentarios

PUSL.- A Frente Polisário enviou uma carta ao presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CS) com os seus comentários sobre o relatório de António Guterres, secretário geral da ONU (ver aqui) apresentado no passado dia 3 de Outubro aos membros do CS.

O relatório enviado ao CS pelo Secretario Geral (SG) destina-se à discussão anterior à reunião no final do mês onde será decidida a extensão do mandato da MINURSO (MIssão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental). Na carta a Frente Polisário reafirma a sua disponbilidade em retomar as negociações de acordo com as resoluções das Nações Unidas, mas apontam algumas preocupações relativamente aos pontos do relatório do Secretário Geral referentes à credibilidade imparcialidade e independência da MINURSO e da própria ONU.

A Frente Polisário explica na carta que é necessário analisar as causas subjacentes à crise de Guergarat (ver aqui links) que tÇem implicações para os acordos militares existentes e o porcesso politico.

Também realçam a preocupação com as tentativas ilegais de “normalização da situação” da ocupação militar de marrocos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental. E aboradam ainda a questão das reuniões com o Chefe da MINURSO poderem ser em qualquer local dentro da area de acção defnida desta Missão. Read more

1 2 3 4