Apelam a empresários para não cair nas “falsas promessas” de investimento no Sahara Ocidental ocupado

empresarios

Fonte: La Vanguardia

Santa Cruz de Tenerife, 26 de maio (EFE) .- A delegação saharaui pediu aos empresário das Ilhas Canárias para que não se acreditem nas “falsas promessas” para fazer investimentos na área do Sahara Ocidental ocupado por Marrocos, que em sua opinião envolve “um oportunismo simples” que não beneficia o povo saharaui.

Em comunicado, a delegação saharaui revela que o investimento nesta área só beneficia “o ocupante marroquino como meio de propaganda e balão de oxigênio ” num momento que é definido pela comunidade internacional pela expulsão do componente civil da MINURSO, que é o garante da paz.

Acrescenta que o acórdão do Tribunal de Justiça Europeu considera ilegais todos os acordos comerciais assinados com Marrocos, que incluam os territórios do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O preso político saharaui Mohamed El Hafed Yazza termina greve de fome

preso politico26 de maio de 2016, porunsaharalibre.org

O preso politico saharaui Mohamed El Hafed Yazza terminou esta madrugada a sua greve de fome após 26 dias.

A Adiministração Geral das Penitenciárias ordenou a sua transferência hoje da prisão de Ait Melloul para a prisão de Taroudant.

O estado de saúde de Mohamed El Hafed Yazza é muito preocupante sendo incapaz de se manter de pé.

Recordamos que o preso politico saharaui já realizou várias greves de fome ao desde 2008 ano em que foi injustamente condenado a 15 anos de prisão.

Durante o seu tempo de detenção tem sido vitima constante de maus tratos e negliência médica grave. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Cspron lança apelo às associações espanholas

FotorCreated

26 de Maio de 2016, Prisão de Salé, Rabat / Sidahmed Lemjeyid Presidente da CSPRON / porunsaharalibre.org

Caros amigos,

Como é do vosso conhecimento em Dezembro do ano passado o tribunal Europeu publicou o acórdão que denuncia o acordo comercial UE/Marrocos no que respeita a exploração e comercialização de produtos agrícolas e pesqueiros do Sahara Ocidental.

Lamentavelmente os governos de Portugal e de Espanha apoiam o recurso contra a decisão de anulação deste acórdão.

Os produtos originários do Sahara Ocidental são produzidos e explorados ilegalmente não beneficiando em nada os legítimos donos do território e provocando sérios problemas ambientais, devido à produção intensiva que utiliza águas fósseis não renováveis.

Não existe nenhuma razão que possa justificar a atuação dos governos de Portugal e Espanha nesta matéria, a importação de tomates e outros produtos não é uma necessidade para estes países que produzem o suficiente para não ter que juntar mais crimes à sua história, usufruindo do roubo das riquezas de colónias e povos subjugados à tirania. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Aminetu Haidar teme que a frustração leve os jovens saharauis à violência

aminatou haidar

Fonte: Terra Notícias

A activista saharaui Aminetu Haidar expressou hoje à Efe a sua preocupação com a “frustração” dos jovens saharauis que não vêm uma solução para o conflito com Marrocos, que os leve a abraçar a violência e pediu à comunidade internacional, em especial a França, para apoiar a sua causa.

Haidar tomou passou pelo capital da Noruega para participar no Fórum da Liberdade de Oslo para “quebrar o muro de silêncio que Marrocos mantém sobre o Sahara e deixar bem clara a situação diária do povo saharaui”.

Em entrevista à Efe, a ativista acusa França e Marrocos por bloquearem o avanço da autodeterminação do Sahara Ocidental e a realização de um plebiscito sobre o assunto, bem como Espanha por não assumir um papel ativo em favor da independência da sua antiga colónia.

A ativista acha que a posição da França no Conselho de Segurança da ONU e as dificuldades da organização multilateral para conseguir avanços no conflito, está a fazer com que as novas gerações “percam a confiança” numa solução pacífica. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Os tomates da vergonha

tomates

Fonte: EUROBLOG / eldiario.es / JORDI Sebastia – Deputada Europeia compromis-Spring

O Tribunal de Justiça Europeu anulou o acordo de comércio entre a UE e Marrocos por incluir produtos beneficiando das vantagens nele previstas que eram originários do Sahara Ocidental.

Faz mais de cinco meses desde que o Tribunal de Justiça Europeu anulou o acordo de comércio entre a UE e Marrocos por incluir produtos beneficiando das vantagens nele previstas que eram originários do Sahara Ocidental. A sentença foi muito clara e censurou com um tom bastante duro a atitude do Conselho Europeu (que representa-os estados membros), por não ter tido em conta nem o que nem a ONU nem a própria União Europeia nunca reconheceram a soberania de Marrocos sobre o ex-colónia espanhola. O ditame também reconheceu a requerente, a Frente Polisário, como uma organização legítima para apresentar o recurso. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Gladiadores virtuais ou baratas a soldo

5000 cucarachas

25 de maio de 2016, porusaharalibre.org

Um artigo publicado no jornal La Vanguardia de dia 24 de Maio, informa-nos que Marrocos vai formar 5.000 jovens para defender nas redes sociais que o Sahara Ocidental é marroquino.

O jornal coloca como título de chamada “Gladiadores Virtuais”.

Como todos sabemos os gladiadores, eram na sua maioria escravos capturados entre os prisioneiros de guerra, que eram treinados para lutar nas arenas do Império Romano. De facto os jovens que irão ser formados não passam de isso escravos da mentira do Reino de Marrocos que continua convicto que se repetir a mesma mentira vezes sem conta irá conseguir convencer o mundo.

Segundo se pode ler no artigo as autoridades do governo marroquino alegam que a iniciativa não foi lançada por eles, mas partiu sim, de vários organismos da juventude e da sociedade civil. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Dia 25 de Maio 2016 – dia de África – dia da criação da OUA

africa25 de mayo de 2016, porunsaharalibre.org

Comemora-se a 25 de Maio, o Dia de África, a data foi instituída pela “Organização da Unidade Africana” em 1963. Em Julho de 2002, esta organização foi substituída pela “União Africana”. A União Africana (UA) foi fundada em 2002 e é a organização que sucedeu a Organização da Unidade Africana. Baseada no modelo da União Europeia (mas actualmente com actuação mais próxima à da Comunidade das Nações), ajuda na promoção da democracia, direitos humanos e desenvolvimento na África, especialmente no aumento dos investimentos estrangeiros por meio do programa Nova Parceria para o Desenvolvimento da África. Seu primeiro presidente foi o presidente sul-africano Thabo Mbeki.

Objectivos da União Africana

A União Africana tem como objectivos a unidade e a solidariedade africana. Defende a eliminação do colonialismo, a soberania dos Estados africanos e a integração económica, além da cooperação política e cultural no continente. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Aminatou Haidar: “Eu não entendo porque é que os governos de Espanha estão sempre no lado oposto do povo”

Ayúdanos a difundir >>>

COAG solicita ao Parlamento Europeu a execução imediata do acórdão que anula o acordo UE-Marrocos

COAG

Fonte: teleprensa.com

Andrés Góngor, responsável por frutas e legumes da COAG, , exige a execução imediata do acórdão que anula o acordo de livre comércio agrícola entre a UE e Marrocos, que inclui de forma ilegal o Sahara Ocidental, território em que o Parlamento Europeu e a ONU não reconhecem a soberania do país Alauita.

Gongora é o único representante dos agricultores espanhóis que participa na conferência organizada no Parlamento Europeu para discutir o acórdão do Tribunal que anula o acordo agrícola da UE entre os dois territórios. Durante o seu discurso, o produtor de Almeria, analisou as suas implicações para as nossas frutas e produtos hortícolas.

Na atual campanha 2015/16, as entradas de tomate na UE de acordo com a DG TAXUD aumentaram em 71% em outubro, + 6% em novembro, + 7% em dezembro, + 18% em janeiro, 12 % em fevereiro e 14% em março, em comparação com a média dos últimos três anos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

23º dia de Greve de Fome do Preso Político Saharaui Mohamed El Hafed Yazza

preso politico24 de maio de 2016, porunsaharalibre.org

A família do preso político saharaui Mohamed El Hafed Yazza, informou hoje que o estado de saúde do detido está cada vez mais deteriorado após 23 dias de greve de fome.

Recordamos que Mohamed El Hafed Yazza, entrou em Greve de fome o passado dia 1 de Maio em protesto contra as condições infra-humanas em que se encontra detido na prisão de Ait Melloul, a falta de assistência médica e exigindo a sua transferência para a prisão de Bozakarin para estar mais perto da família.

O preso político saharaui Mohamed El Hafed Yazza encontra-se detido desde março de 2008 após a sua participação numa manifestação pacífica organizada por jovens saharauis na cidade de Tantan, no sul de Marrocos, para exigir o direito do povo saharaui à autodeterminação, cumpre uma sentença de 15 anos de prisão ditada num julgamento celebrado em Marrocos sem as mínimas garantias de um processo justo e legal.

Tem sido transferido de forma arbitrária por várias vezes nos últimos 8 anos de prisão em prisão, sofrendo torturas e maus tratos, negligência médica grave e realizou várias greve de fome em protesto pelas condições a que é sujeito. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Lopez (IU) exige da UE um protesto oficial contra Marrocos pela repressão continua a activistas saharauis

IU

Paloma López, Deputada do Parlamento Europeu da Esquerda Unida

Fonte: iueuropa.org

A Eurodeputada da Esquerda Unida, Paloma Lopez, instou a Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Federica Mogherini, a apresentar um “protesto oficial” contra Marrocos pela “repressão constante” perpetrada contra grupos de activistas saharauis. A repressão, disse a vice-presidente do Intergrupo para o Sahara Ocidental, no Parlamento Europeu, que “tem vindo a aumentar à medida que os protestos crescem sobre uma situação que é insustentável e deve ser resolvido no âmbito das resoluções das Nações Unidas, ou seja, um referendo. “

Em duas perguntas parlamentares separadas, Lopez queixa-se, por um lado, dos “níveis de repressão inaceitáveis” que está a utiliza a força policial da ocupação marroquina para dissolver e reduzir qualquer tipo de demonstração ou manifestação organizada por saharauis e faz uma atualização da situação dos presos políticos, muitos deles em greve de fome durante semanas para exigir a sua libertação e um referendo no Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 101 102 103 104 105 114