Acordo de Pescas EU-Reino de Marrocos: Parlamento Europeu aprova ilegalidade

Estrasburgo,12/02/2019 – Gabinete de Imprensa dos deputados do PCP no PE

O Parlamento Europeu deu, hoje, consentimento à celebração de um novo Acordo de Pescas entre a União Europeia e o Reino de Marrocos. Tal facto não seria digno de nota se a maioria do território a que este acordo se refere não correspondesse maioritariamente à zona económica exclusiva do Sahara Ocidental – país ocupado ilegalmente por Marrocos. Este acordo teve o apoio dos deputados do PSD, do CDS, do MPT, da maioria dos deputados do PS, bem como do deputado Marinho e Pinto.

A revisão do Acordo de Pescas é uma exigência, na sequência da decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia, que declarou o anterior ilegal. No entanto, a Comissão Europeia fez tábua rasa desta decisão, continuando a incluir as áreas ocupadas no âmbito desta revisão, com a justificação de que as populações do Sahara Ocidental foram ouvidas. Essa consulta foi, no entanto, uma fraude – foram deixadas de fora as organizações representativas Saharauís, nomeadamente a Frente POLISARIO, que é, segundo as Nações Unidas, o interlocutor legitimo do povo Saharauí. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

PE ignora TJUE e aprova Acordo de pesca UE – Marrocos que financia ocupação do Sahara

PUSL.- Os eurodeputados aprovaram hoje o acordo de pesca UE-Marrocos que inclui as águas do Sahara Ocidental. Os eurodeputados não só desrespeitaram o acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) como violam directamente o Direito Humanitário Internacional.

Recusa de levar o acordo à justiça europeia

Antes de votar sobre o acordo, os deputados rejeitaram, por 189 votos a 410, com 36 abstenções, uma petição a pedir ao Tribunal de Justiça da UE para avaliar a sua compatibilidade com o Tratado da UE.

Num comunicado oficial a UE afirma que está votação “Não prejudica o resultado do processo político sobre o estatuto do Sahara Ocidental”. Esta afirmação é curiosa visto o estatuto estar bem definido e o próprio TJUE ter reafirmado que Marrocos não tem qualquer soberania sobre o território não autonomo do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

HRW alerta eurodeputados sobre acordo de pesca UE-Marrocos

hrw.org.- Eurodeputados: Procurem parecer do Tribunal Europeu sobre a compatibilidade do acordo de pesca da UE com Marrocos com o direito internacional

Caros membros do Parlamento Europeu,

A 12 de fevereiro de 2019, o Parlamento Europeu deverá votar uma resolução legislativa sobre o projeto de decisão do Conselho relativa à celebração do Acordo de Parceria no Domínio das Pescas Sustentável (APPS) entre a União Europeia e o Reino de Marrocos, o Protocolo de Aplicação e  troca de cartas que acompanham o Acordo.

Em 16 de janeiro, o Parlamento aprovou a legislação relativa ao comércio de produtos agrícolas, o Acordo UE-Marrocos sobre a alteração dos Protocolos 1 e 4 do Acordo Euro-Mediterrânico. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Acordo de pesca UE/Marrocos – Os países europeus insistem no respeito das decisões do TJUE

fr.allafrica.com.-  Bruxelas – Suécia opõe-se à assinatura do novo acordo de parceria no domínio da pesca entre a União Europeia e Marrocos, reiterando que o alargamento do âmbito geográfico do acordo ao território do Sahara Ocidental deve receber o consentimento do povo saharaui, em conformidade com o acórdão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias (TJCE) de 27 de Fevereiro, enquanto a Alemanha, a Dinamarca e a Irlanda insistiram em que um acordo deveria estar em conformidade com o direito europeu e o direito internacional.

Quando o texto do acordo sobre o Conselho da Competitividade da UE foi adoptado em 29 de Novembro em Bruxelas, a Suécia emitiu uma declaração explicativa na sequência da votação em que manifestou a sua oposição às decisões do Conselho sobre o Acordo de Parceria no domínio da pesca entre a União Europeia e Marrocos.

A Suécia explicou que este acordo não respeitava os acórdãos do TJUE, que afirmavam que o Sahara Ocidental era um território “separado” e “distinto” do Reino de Marrocos e que qualquer extensão do acordo a esse território exige “consentimento” do povo do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Ana Miranda (BNG MPE) critica o cinismo da CE na negociação do acordo de pescas com Marrocos sem ter em conta o povo saharaui

bng.gal.- A eurodeputada do BNG (Bloco Nacionalista Galego) informa que o grupo Green-ALE não apoiará um acordo que seja ilegal.

A eurodeputada do BNG, Ana Miranda, denunciou o “show de cinismo da Comissão Europeia” para à sua maneira negociar o acordo de pesca com Marrocos que não tem em conta o povo saharaui representado pela Frente Polisário, e focar os benefícios econômicos de Marrocos. “Parece que esses benefícios são a única coisa que importa para a Comissão, mas qual o benefício que tem o povo saharauí?”, Disse Miranda no seu discurso na Comissão das Pescas, enquanto disse que o grupo el-ALE Verdes no qual o BNG está integrado, não apoiará o acordo “se for ilegal”.

“Queremos acordos legais e os próprios pescadores não têm que sofrer uma reversão do acordo pelo próprio Tribunal”, disse Ana Miranda, referindo-se a uma decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia em fevereiro passado em que excluiu as águas Saharauis do acordo de pesca com Marrocos e reconheceu que o único e legítimo proprietário destes recursos é o povo saharaui. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Acordo de pesca de Marrocos vacila no Parlamento Europeu

Voz de Galicia.- 91,2% das capturas realizadas pela frota comunitária no âmbito do acordo de pesca com Marrocos provêm das águas do Sahara Ocidental. O mesmo que o Tribunal de Justiça da UE foi contratado para proteger em 27 de fevereiro depois de considerar que o reino Alauita não tem jurisdição sobre o território ocupado.

A decisão forçou Bruxelas a buscar um atalho legal para permitir que 49 navios espanhóis, 4 galegos, voltassem às suas águas. A estratégia que a Comissão seguiu para obter a aprovação do Parlamento Europeu para o novo texto foi apelar para uma alegada consulta com os saharauís, da qual nunca foram além dos pormenores. Falta de transparência e dúvidas sobre o processo fazem com que o acordo vacile. O porta-voz da Frente Polisário, Mohamed Sidati, acusou a equipe de negociação de mentir e tet desenvolvido no Sahara “uma estrutura de saques.” “Eles disseram que iriam consultar a Frente Polisário, mas nunca o fizeram” denunciou antes de pedir referendo da UE: “Somos um povo generoso, não haverá problema para fechar um negócio”, insistiu Sidati. Longe de responder às acusações, os chefesda Comissão permaneceram em silêncio. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Julgamento do TJUE: acordo de pesca UE-Marrocos não pode incluir o Sahara Ocidental

PUSL.- O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) confirmou no seu último acórdão publicado em 19 de Julho que Marrocos não tem soberania sobre o Sahara Ocidental e, portanto, o acordo de pesca da UE com Marrocos não pode ser aplicado ao território.

“decorre das considerações que precedem que o Acordo de Parceria e o Protocolo de 2013 devem ser interpretados em conformidade com as regras do direito internacional que vinculam a União e são aplicáveis nas relações entre a União e o Reino de Marrocos. Neste sentido, o território do Sahara Ocidental e as águas adjacentes ao território não se enquadram no âmbito territorial do presente Acordo e Protocolo “.

Este acórdão refere-se ao caso apresentado pela Frente Polisario contra o Conselho da UE relativo à aplicação do Acordo de Pesca UE-Marrocos ao Sahara Ocidental em 2014 e confirma as duas decisões anteriores de 21 de dezembro de 2016 relativas ao caso apresentado pelo Frente Polisário e de 27 de fevereiro de 2018 o caso da Western Sahara Campaign contra o Governo do Reino Unido que foi então encaminhado pelo Tribunal Superior do Reino Unido para o TJUE. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O Conselho vota sobre a proposta de decisão da Comissão que altera o Acordo Euro-Mediterrânico com o Reino de Marrocos

PUSL.- Em 16 de Julho, o Conselho adoptou uma decisão relativa à extensão das preferências pautais no Acordo de Associação com Marrocos no Sahara Ocidental. Segundo a Comissão, a decisão está em conformidade com o acórdão do Tribunal de Justiça da UE sobre o acordo de liberalização dos produtos agrícolas e outros produtos, de 21 de dezembro de 2016.

Recordamos que, em 29 de maio de 2017, o Conselho autorizou a Comissão a encetar negociações com vista a fornecer uma base jurídica para a concessão de preferências aos produtos originários do Sahara Ocidental na sequência do acórdão de 21 de dezembro de 2016 no processo C-104/16 P, em que o Tribunal de Justiça da União Europeia tinha decidido que o Acordo de Associação e o acordo de liberalização celebrado entre a UE e Marrocos não se aplicavam ao Sahara Ocidental.

Duas rodadas de negociações foram realizadas. A primeira foi realizada em 15 e 16 de junho de 2017, a segunda em 18 de julho de 2017. Os principais negociadores iniciaram o projeto de acordo em 31 de janeiro de 2018. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Verdes Contestam Acordo de Pescas entre a União Europeia e Marrocos nos Territórios Ocupados do Sahara Ocidental

port.pravda.ru.- O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através doMinistério dos Negócios Estrangeiros sobre o a revisão do acordo de pescas entre a União Europeia e o Reino de Marrocos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental ou nas suas águas adjacentes, sobre o qual o Tribunal Europeu de Justiça se pronunciou novamente de forma clara contra a sua aplicação.

Pergunta:

Através de um acórdão de 27 de fevereiro, o Tribunal Europeu de Justiça pronunciou-se novamente de forma clara contra a aplicação do acordo de pescas entre a União Europeia e o Reino de Marrocos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental ou nas suas águas adjacentes, sob pena de constituir uma violação do direito internacional e do direito à autodeterminação do povo Saharaui, baseando esta decisão nas resoluções da ONU.

Desta forma, a soberania de Marrocos sobre o Sahara Ocidental não é reconhecida pela ONU nem pela União Europeia, pelo que um acordo com Marrocos nunca se poderá aplicar ao Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Acordo de Pesca UE-Marrocos: Bruxelas tranquiliza os saharauis e impulsiona Rabat

Algerie Patriotique.- A Comissão Europeia respeitará, durante as negociações de um novo protocolo sobre o acordo de pesca entre a União Europeia (UE) e Marrocos, a decisão do Tribunal de Justiça Europeu (TJUE), que exclui as águas territoriais saharauis, afirmaram fontes saharauis ​​referindo-se às declarações de uma ministra espanhola.

Numa declaração emitida na segunda-feira, à chegada a Bruxelas para participar da reunião de ministros europeus da pesca, a ministra espanhola da Agricultura e Pescas, Isabel Garcia Tejerina, disse que o novo acordo de pesca UE-Marrocos “Respeitará escrupulosamente a decisão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias (TJUE), que concluiu que o acordo em questão não se aplica às águas territoriais do Sahara Ocidental”, alegando que as negociações a lançar para este fim “não se referem sobre a prorrogação do actual acordo de pesca (que expira em 14 de julho de 2018), mas dizem respeito a um novo acordo que tenha em conta a decisão do TJUE “.

A ministra espanhola salientou que as negociações sobre um novo acordo de pesca entre a UE e Marrocos, a qual os ministros europeus da pesca deram a luz verde na segunda-feira, “respeitarão escrupulosamente” a decisão do TJUE que concluiu que o acordo “não é não se aplica ao “Sahara Ocidental e suas águas territoriais” porque é um território ocupado por Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Polisario rejeita a inclusão do Sahara Ocidental na renegociação do acordo de pesca UE-Marrocos

Bruxelas (Bélgica), 16/04/2018 (SPS)

A Frente Polisário, condenou hoje a decisão do Conselho Europeu de autorizar a Comissão Europeia a renegociar um novo acordo que altera as regras de pesca UE-Marrocos, com o objetivo de incluir explicitamente o Sahara Ocidental.

A Polisário, lembrou em comunicado divulgado hoje que “o Tribunal de Justiça da União Europeia, decidiu duas vezes que Marrocos não tem soberania sobre o Sahara Ocidental” e, portanto, não pode ser incluído em acordos internacionais.

“Estas negociações só podem levar a um acordo ilegal contra o direito da União Europeia e do direito internacional”, disse o comunicado, enquanto reitera que o Tribunal de Justiça da UE, estabeleceu que a única maneira de negociar acordos sobre o Sahara Ocidental, é através do consentimento do povo saharaui expressas pelo seu representante reconhecido pelas Nações Unidas, a Frente Polisário.

Além disso, a Polisário disse que a renegociação do acordo com Marrocos, põe em causa a contribuição da UE para o processo de paz, e mina os esforços das Nações Unidas e do seu enviado especial. Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2