Comunicado dos artistas e participantes internacionais saharauís na XII edição de ARTifariti

COMUNICADO DE ARTIFARITI 2018

Neste dia, 1 de novembro de 2018, artistas participantes internacionais e saharauís na XII edição dos Encontros Internacionais de Arte e direitos humanos no Sahara Ocidental (ARTifariti) chegaram à cidade de Tifariti, nos territórios libertados onde o evento terá lugar nos próximos dez dias, sob o lema “uma poesia feita por todos” e, a fim de dar visibilidade à pilhagem que as autoridades marroquinas realizam sobre a cultura saharaui nos territórios ocupados.

O Festival foi inaugurado em 31 de outubro, no 43 aniversário da invasão do território saharaui pela Marcha Verde, quando 300.000 marroquinos foram enviados por Hassan II para ocupar o Sahara.

Além disso, em 31 de outubro de 2018, o Conselho de Segurança das Nações Unidas emitiu uma resolução em apoio às negociações de paz que serão realizadas em Genebra nos dias 5 e 6 de dezembro, e em que uma serão debatidos uma série de considerações sobre os territórios libertados do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Câmara dos Deputados do México acolhe a exibição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” do artista saharaui mexicano Antonio Velázquez Abdallahy

Foi inaugurada a exposição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” de Antonio Velázquez que tem como objectivo solicitar o respeito e garantia da ONU dos direitos humanos e direito à autodeterminação do povo saharaui.

Com o pedido que o direito internacional seja aplicado e os direitos de liberdade e autodeterminação do povo saharaui contra a ocupação marroquina sejam respeitados, o “artivista” plástico António Velázquez, Abdallahy, inaugurou na segunda-feira no salão principal da Câmara dos Deputados a exposição “saharauis: olhos que refletem a alma”.

Tendo como convidados o Embaixador da República Saharaui Árabe Democrática, Ahmed Mulay Ali; o Embaixador da Cote d’Ivoire, Obou Marcellin Abie; o embaixador da República Bolivariana da Venezuela, María Lourdes Urbaneja de Durant; e vários deputados; o artista de origem tapatío reiterou o seu compromisso com a luta travada por este povo africano para recuperar a sua liberdade e afirmou que a arte é um caminho para o mundo ver e compreender os sentimentos desses lutadores.

“Esta coleção procura dar voz a um povo ancestral que vive no deserto e há vários anos luta pacificamente para recuperar a sua liberdade e independência”, disse Antonio Velázquez lembrando que como observador internacional do povo saharaui, foi capaz de documentar atrocidades e o genocídio que este enfrenta. Read more

Ayúdanos a difundir >>>