‘AS ACACIAS DO ÊXODO’, DE CONCHI MOYA LIVRO SOBRE A MEMÓRIA E A ESPERANÇA DOS SAHARAUIS

Conchi Moya escreve histórias sobre personagens reais, famosas e anônimas

“Quero que os saharauis sejam conhecidos e seja denunciada a injustiça cometida a um povo digno e corajoso”, garante

* Fonte: RTVE. Por JESÚS JIMÉNEZ (@vinetabocadillo) 13.06.2019

O povo saharaui pede a autodeterminação há quase meio século para poder viver em paz nas suas terras. Mas as suas esperanças de consegui-lo parecem cada vez mais distantes para a ocupação marroquina e a indiferença internacional. Agora a escritora Conchi Moya (Madrid, 1971) dá voz a pessoas famosas e anônimas numa série de histórias que ela escreveu sobre o assunto: “As Acácias do Exodo” (Sílex ediciones), que nos permitem melhor compreender os sonhos e esperanças dos saharauis.

“Todas as histórias têm em comum que giram em torno dos saharauis”, diz Conchi. Eu escolhi o tempo como uma maneira de estruturá-los. Portanto, há três partes: o ontem, onde coleciono histórias da época em que a Espanha ainda estava no território e do momento do abandono marroquino e da invasão subsequente; o hoje, com histórias inspiradas no actual período de impasse, uma situação nem de paz nem de guerra muito perigosa para os saharauis, e uma terceira parte do amanhã, onde reflito o anseio pelo que espero que aconteça em breve no Sahara através de uma história relacionada com os músicos saharauis de todos os tempos “. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Fundação José Saramago lança campanha para criar biblioteca no Saara Ocidental

24.sapo.pt.- A Fundação José Saramago vai iniciar uma campanha para criação de uma biblioteca nos campos de refugiados do Saara Ocidental, apelando à entrega de livros na sua sede, em Lisboa.

“Uma parte da nossa atividade, ou um dos objetivos da fundação, é a defesa dos Direitos Humanos e é neste âmbito que estamos nesta campanha de solidariedade, não esquecendo direitos elementares e básicos que são a autodeterminação e a independência de um povo”, afirmou, em declarações à Lusa, Idália Thiago, da Fundação José Saramago.

A campanha é apresentada hoje, ao final do dia na sede, “dia do aniversário da República Árabe Democrática Saaraui”, que reivindica soberania sobre todo o território do Saara Ocidental, “a única colónia ainda ocupada em África, ocupada por Marrocos”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Comunicado dos artistas e participantes internacionais saharauís na XII edição de ARTifariti

COMUNICADO DE ARTIFARITI 2018

Neste dia, 1 de novembro de 2018, artistas participantes internacionais e saharauís na XII edição dos Encontros Internacionais de Arte e direitos humanos no Sahara Ocidental (ARTifariti) chegaram à cidade de Tifariti, nos territórios libertados onde o evento terá lugar nos próximos dez dias, sob o lema “uma poesia feita por todos” e, a fim de dar visibilidade à pilhagem que as autoridades marroquinas realizam sobre a cultura saharaui nos territórios ocupados.

O Festival foi inaugurado em 31 de outubro, no 43 aniversário da invasão do território saharaui pela Marcha Verde, quando 300.000 marroquinos foram enviados por Hassan II para ocupar o Sahara.

Além disso, em 31 de outubro de 2018, o Conselho de Segurança das Nações Unidas emitiu uma resolução em apoio às negociações de paz que serão realizadas em Genebra nos dias 5 e 6 de dezembro, e em que uma serão debatidos uma série de considerações sobre os territórios libertados do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Universidades Pablo de Olavide e Tifariti assinaram um acordo de atribuição de bolsas de estudo para estudantes saharauis

Fonte: elperiodico.com

O reitor da Universidade Pablo de Olavide (UPO) em Sevilha, Vicente Guzmán, e o reitor da Universidade de Tifariti (República Árabe Saharaui Democrática), Jatari Hamudi Andal-la, assinaram na quarta-feira na reitoria um acordo de cooperação entre ambas as entidades a fim de promover a realização de actividades de formação económica, científica, técnica e de pesquisa e a concretização dasprimeiras bolsas de estudo para que os alunos saharauis possam desenvolver parte dos seus estudos no UPO.

Ambas as entidades estabeleceram um quadro de cooperação educacional, a fim de desenvolver actividades conjuntas em formação e áreas de pesquisa, bem como em atividades práticas destinadas a estudantes universitários, que servem para fortalecer e ajudar a Universidade de Tifariti no desenvolvimento de suas funções acadêmicas e de pesquisa, fornecendo recursos humanos e materiais.

Ambos os reitores expressaram a sua satisfação após a assinatura deste acordo. Guzman recordou a responsabilidade de Espanha para com o povo saharaui, após uma presença de um século no Sahara Ocidental. “Na faculdade não somos políticos, mas não podemos fugir à política. Com a assinatura deste acordo não estamos a fazer política, mas academia e educação, que é uma forma de resolver conflitos políticos “, disse o reitor da UPO. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Câmara dos Deputados do México acolhe a exibição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” do artista saharaui mexicano Antonio Velázquez Abdallahy

Foi inaugurada a exposição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” de Antonio Velázquez que tem como objectivo solicitar o respeito e garantia da ONU dos direitos humanos e direito à autodeterminação do povo saharaui.

Com o pedido que o direito internacional seja aplicado e os direitos de liberdade e autodeterminação do povo saharaui contra a ocupação marroquina sejam respeitados, o “artivista” plástico António Velázquez, Abdallahy, inaugurou na segunda-feira no salão principal da Câmara dos Deputados a exposição “saharauis: olhos que refletem a alma”.

Tendo como convidados o Embaixador da República Saharaui Árabe Democrática, Ahmed Mulay Ali; o Embaixador da Cote d’Ivoire, Obou Marcellin Abie; o embaixador da República Bolivariana da Venezuela, María Lourdes Urbaneja de Durant; e vários deputados; o artista de origem tapatío reiterou o seu compromisso com a luta travada por este povo africano para recuperar a sua liberdade e afirmou que a arte é um caminho para o mundo ver e compreender os sentimentos desses lutadores.

“Esta coleção procura dar voz a um povo ancestral que vive no deserto e há vários anos luta pacificamente para recuperar a sua liberdade e independência”, disse Antonio Velázquez lembrando que como observador internacional do povo saharaui, foi capaz de documentar atrocidades e o genocídio que este enfrenta. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Cultura e educação aspectos estratégicos da Frente Polisario – Exemplo para o mundo

cultura-sahara

14 de outubro de 2016, porunsaharalibre.org

A Frente Polisario e a RASD tem demonstrado ao mundo que os dirigentes saharauis e a população saharaui se distingue pela positiva em muitos aspectos. Um destes aspectos é sem dúvida a política da República Árabe Saharaui Democrática que opta por definir como um dos elementos estratégicos a educação e a cultura.

Há que valorizar este aspecto, ainda mais devido ao facto de estarmos a falar de refugiados que há 41 anos se encontram em campos no meio do deserto da morte, dependentes da ajuda humanitária para sobreviver, as que mesmo assim e mesmo nos ano de guerra nunca deixaram a educação e a cultura para trás. Um exemplo para o mundo.

Segundo os dados da UNESCO publicados este ano, a taxa de alfabetização nos acampamentos de refugiados alcançou os 96%, tornando-se assim o segundo país com maior índice de alfabetização do continente africano, estando Serra Leoa em primeiro, com 99%. A RASD supera assim a taxa de alfabetização de Portugal que é de 94,8% (fonte INE) e está quase ao nivel do colonizador espanhol que tem uma taxa de 98,1%. Read more

Ayúdanos a difundir >>>