Advogados espanhóis impedidos por autoridades Marroquinas de sair do avião no Sahara Ocidental ocupado

PUSL.- As autoridades marroquinas impediram três advogados de sair do avião em El Aaiun, no Sahara Ocidental, sob ocupação marroquina desde 1975.

Os três advogados do Conselho Geral de Direito Espanhol pretendiam participar como observadores no julgamento contra a jornalista saharaui Nazha El Khalidi que teve lugar ontem. Nazha El Khalidi aguarda em liberdade a sentença que será publica no próxima dia 8 de Julho.

Inés Miranda Navarro, Miguel Ángel Jerez Juan e José María Costa Serra – chegaram no dia 23 de junho, domingo de manhã de avião a El Aaiún desde a Gran Canaria, mas nem sequer saíram do avião.

As autoridades marroquinas tentam contornar a “expulsão” de estrangeiros simplesmente não permitindo que saiam do avião em El Aaiun, uma técnica que foi usada várias vezes no passado recente.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos não quer testemunhas e expulsa cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses de El Aaiún

– O regime marroquino não quer presença internacional no julgamento contra a jornalista saharaui Nazha El Kalhidi
– Advogados espanhóis são credenciados pelo Conselho Geral de Direito Espanhol
– “É proibido entrar em El Aaiún”, explicação da polícia marroquina

Alfonso Lafarga (Contramutis).- Marrocos impediu cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses a entrar em El Aaiun, capital do Sahara Ocidental, onde tinham viajado para assistir ao julgamento contra a jornalista saharaui Nazha O Kalhidi acusada ​​de excercer a profissão sem qualificações formais.

“É proibido entrar em El Aaiún”, foi a única explicação recebida pelos advogados Sidi Telebbuia, de Madrid; Ramon Campos Garcia e Maria Lourdes Baron Jaques de Zaragoza e Lala Travieso Darias e Ruth Sebastian, de Las Palmas, todos credenciados pelo Conselho Geral Espanhol de Advogados e Observadores noruegueses da Fundação Rafto para os Direitos humanos Vegard Fosso Smievoll e Kjersti Brevik Moeller. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Autoridades marroquinas expulsam advogada polaca do Sahara Ocidental e de Marrocos

Fundação Nushatta | 18 de janeiro de 2019 Agadir- (Marrocos) Por volta das 5 da manhã, policias à paisana marroquinos invadiram a casa de um estudante saharaui e prenderam uma advogada polaca por ter encontros com estudantes saharauis pró-POLISARIO. A Fundação Nushatta descobriu que este incidente teve lugar anteontem, a 16 de janeiro na cidade de Agadir, Marrocos.

Os serviços secretos marroquinos mantiveram a advogada polaca, Sra. Justyna Paulina Wróbel sob vigilância apertada por 512,66 km desde que ela foi deportada no último domingo do posto de controle na entrada de El-Aaiun no Sahara Ocidental para Agadir, onde ela teve que suportar interrogatório e investigação ilegais pelas autoridades marroquinas sobre os motivos da sua visita.

“Você sabe o motivo”, foi a única resposta de um dos oficiais marroquinos às perguntas da Sra. Paulina Wróbel em protesto contra o mau uso da autoridade, a prisão ilegal e os maus tratos que ela experimentou, que estavam completamente à margem dos procedimentos de direito devido à ausência de um mandado de busca. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos detém e expulsa de El Aiún dois cooperantes de uma ONG sueca

dn.pt.- As autoridades marroquinas detiveram nas últimas horas em El Aiún dois membros da Organização Não-governamental sueca Emmaus Stockholm e encaminharam-nos ao aeroporto de Casablanca para serem expulsos, disseram hoje jornalistas saarauís (Equipe Media) citados pela agência espanhola Efe.

Segundo as mesmas fontes, Juan Obregón, coordenador de programas daquela ONG, e a sua colega Caroline Nord foram abordados pela polícia marroquina quando se preparavam para uma reunião com uma associação de defesa dos direitos humanos saarauí nesta zona anexada por Marrocos desde 1975.

“Os cooperantes iam numa visita de trabalho com a Associação Saarauí de Vítimas de Violações dos Direitos Humanos. Foram interrogados e depois foram expulsos do Saara Ocidental ocupado”, afirmou um dos jornalistas.

A mesma fonte referiu que o cooperante disse que estavam a ser vigiados por agentes da polícia no aeroporto e que os seus passaportes haviam sido confiscados, estando agora à espera para serem deportados para Estocolmo. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Amnestia Internacional condenda expulsão de avogadas de defesa de presos políticos saharauis

“Duas advogadas francesas expulsas de Marrocos. Elas iam visitar os presos saharauis de Gdeim Izik, condenados em Julho 2017 a pesadas penas de prisão num processo manifestamente injusto” Pode – se ler hoje no Twitter da Amnestia Internacional.

Não só a AI condena a expulsão como classifica publicamente o processo de Gdeim Izik como injusto.

Também a EuroMed Rights organização mediterrânica de direitos humanos condena a expulsão.

O presidente da EuroMed Rights, Michel Tubiana, denuncia este novo ataque ao direito de defesa:

“A repressão da Dra. Metton e da Dra. Ouled é inaceitável, em flagrante contradição com o direito internacional e a convenção que liga as ordens de França e Marrocos.

Os advogados têm o direito de assistir os seus clientes ao longo do processo. Proibir as Dras. Metton e Ouled d entrar em Marrocos equivale a proibi-las de exercer a sua missão de defesa.

A EuroMed Rights apela às autoridades marroquinas a reverter esta decisão” Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Advogadas francesas detidas arbitrariamente em Casablanca e expulsas do território marroquino

COMUNICADO DE IMPRENSA

Nós, Ingrid METTON e Olfa OULED, advogadas da ordem de advogados de Paris, expressamos a nossa mais profunda indignação com a nova infração à nossa profissão e a obstrução do exercício dos direitos de defesa.

Como advogadas da defesa dos prisioneiros saharauis, viajamos a Marrocos para visitar os nossos clientes em seu recurso de cassação após sua condenação pelo Tribunal de Recurso de Rabat em 19 de julho de 2017.

Ontem, segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018, fomos abordadas na descida do nosso avião em Casablanca às 20h40. Nossos passaportes foram confiscados. Fomos detidas sem causa, justificação e sem qualquer notificação até até às 14h do dia seguinte antes de sermos expulsas do território.

Por mais de 18 horas, fomos colocadas sob escolta policial na zona internacional do aeroporto de Casablanca e deixados sem informação. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

URGENTE – Observadora noreguesa expulsa do Sahara Occidental

Photo by Ida Bergstrøm/UIB

A Sra. Tone Sørfonn Moe, observadora norueguesa foi expulsa hoje às 12h50, hora local de El Aaiun, capital do território não-autônomo do Sahara Ocidental pelas autoridades marroquinas.

Tone é um estudante de direito norueguesa e foi observadora internacional no julgamento Gdeim Izik, realizado no tribunal de recurso em Salé, Marrocos entre 2016/2017, e é credenciada pela Fundación Sahara Occidental, uma organização que monitora os Direitos Humanos e a situação de os prisioneiros políticos saharauis. Tone deveria observar um processo judicial contra um grupo de prisioneiros políticos em Marraquexe em 12 de dezembro, que foi adiado.

Ela viajou de Agadir para El Aaiún, capital do Sahara Ocidental, no domingo passado, 10 de dezembro.

Às 12h50 de hoje a Sra. Moe envio o seguinte texto:

“De acordo com a polícia, os observadores internacionais não são bem-vindos. De acordo com a polícia, não cheguei de forma legal. Expliquei ao agente civil que cheguei a El Aaiun de táxi de Agadir, e que sou observadora internacional. Fui abordado no meu hotel por cerca de 20 a 25 policiais não uniformizados. 10 desses agentes à civil estavam a filmar-me e a tirar fotografias. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos expulsa eurodeputados por medo da verdade

Um grupo de 5 eurodeputados do Intergrupo para o Sahara Ocidental tentou visitar El Aaiun nos territórios ocupados do Sahara Ocidental sob ocupação militar marroquina desde 1975, após a aterragem no aeroporto os eurodeputados foram impedidos de sair do avião e forçados a regressar no mesmo avião a Las Palmas (Espanha). De acordo com declarações da deputada sueca, Bodil Valero, as autoridades pediram-lhes os seus passaportes, no interior do avião, a que os eurodeputados se recusaram.

Diversos passageiros mostraram a sua solidariedade com este grupo de deputados europeus.

A delegação era composta pela deputada sueca Jytte Guteland (S & D), presidente do Intergrupo; Paloma López Bermejo (IU) vice-presidente, Josu Juaristi (EH Bildu), Lidia Senra (Galega Alternativa Esquerdas) de Espanha e Bodil Valero (Verdes / ALE), também sueca, acompanhados por um assistente. O objectivo da vista era realizar reuniões com a sociedade civil saharaui, vítimas de violações dos direitos humanos e ativistas na cidade, além de verificar de perto a situação sob a ocupação marroquina e a mudança demográfica, com a introdução de centenas de milhares de colonos marroquinos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

POLISÁRIO APELA A UE A CONDENAR A EXPULSÃO DOS EURODEPUTADOS DE MARROCOS

[BRUXELAS, 27 DE OUTUBRO DE 2017]

Marrocos deportou hoje uma delegação de deputados do parlamento europeu da cidade ocupada de El Aaiún no Sahara Ocidental. A delegação, composta por membros do Intergrupo do Parlamento Europeu para o Sahara Ocidental, era liderada pela deputada sueca Jytte Guteland (S & D). Os outros deputados são Paloma Lopez (GUE / NGL), Bodil Valero (Verdes / EFA), Lidia Senra (GUE / NGL) e Josu Juaristi (GUE / NGL).
O representante da Polisario, Mohamed Sidati, declarou hoje que:

“Este é mais um exemplo da tentativa deliberada e contínua de Marrocos de ocultar os seus abusos contínuos e sistemáticos em matéria de direitos humanos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Falei com a delegação para expressar a nossa solidariedade e agradecemos os seus esforços para ver a situação terrível dos direitos humanos dos saharauis que vivem sob a ocupação ilegal de Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos realiza expulsões no dia antes do julgamento de Gdeim Izik

No domingo poucas horas antes do inicio da 3a sessão do novo julgamento dos presos politicos saharauis do grupo de Gdeim Izik, marrocos expulsou a Jesús Martín Morillo de Espanha, observador internacional e Claude Mangin, esposa de Naama Asfari, um dos acusados.

Num julgamento que Marrocos pretende apresentar com justo, equitativo e moderno as irregularidades são constantes desde a primeira sessão em dezembro de 2016 que se agravam agora com estas duas expulsões. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

As autoridades de ocupação detiveram e expulsaram jornalista espanhol

 

Fonte: Equipe Mídia

Os serviços secretos cercam a casa de Ahmed Ettanji depois de ter certeza sobre a presença do jornalista espanhol e fotógrafo Bernat Millet.

Às 12h30, a polícia de ocupação marroquina prendeu quatro membros da Equipe mídia (Ettanji Ahmed Brahim Laajil, Mohamed Saleh, Mohamed Hamadi Zarouali E Bachar) juntamente com o jornalista espanhol.

Foram libertados após algumas horas. Bernat foi levado para a esquadra da polícia onde foi interrogado e, em seguida, expulso do Sahara ocupado.

A detenção do jornalista vem no âmbito de uma campanha sistemática para proibir todos os jornalistas e observadores internacionais de ver e denunciar a situação nos territórios ocupados.

Equipe de mídia faz apelo a todas as organizações, para quebrar o bloqueio imposto sobre o Sahara Ocidental pela monarquia marroquina e forçar o regime Alauita a respeitar as convenções internacionais sobre a protecção dos jornalistas saharauis que sofrem repressão pelo ocupante marroquino. Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2 3