Hmad Hamad: “Nações Unidas utilizam os territórios ocupados do Sahara Ocidental como base militar”

PUSL.- Hmad Hamad ( activista saharaui e vice-presidente da CODAPSO -Comité de Defesa do Direito à Autodeterminação do Povo do Sahara Ocidental)

As Nações Unidas, nomeadamente a MINURSO (Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental) está no Sahara Ocidental desde 1991, ano da assinatura do cessar-fogo entre a Frente Polisário e Marrocos. O cessar-fogo tinha como base a realização do referendo que permitira ao nosso povo escolher livremente o seu destino e alcançar a autodeterminação. Passados 28 anos continuamos sem referendo e agora sob quase 44 anos de ocupação por parte de Marrocos.

A MINURSO e o Conselho de Segurança não foram capazes de cumprir o que foi determinado em sede das Nações Unidas e passam décadas a protelar a implementação das resoluções que levariam ao fim de uma ocupação de 4 décadas.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Hmad Hamad, activista saharaui ameaçado de detenção e vitima de insultos

PUSL.- O vice presidente da CODAPSO, Hmad Hamad, , deslocou-se esta sexta-feira de El Aaiun para Smara nos territórios ocupados do Sahara Ocidental quando foi detido num posto de controle.

Hamad ia reunir-se com outros activistas saharauis na cidade de Smara quando foi detido no posto de controle à entrada da Cidade durante uma hora.

Os agentes das autoridades de ocupação marroquinas insultaram Hamad chegando a ameaçar que o iriam enviar para a prisão. Os insultos e ameaças sofridos são fruto da sua actividade não violenta como activista da causa saharaui.

Passado uma hora de intensa discussão e a rápida denuncia do que se estava a passar pelos activistas de Smara nas redes sociais, Hmad foi libertado.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

“Os nossos sentimentos em relação aos nossos mortos são violados pelo regime marroquino”. Hmad Hammad, vice-presidente da CODAPSO

Diario La Realidad Saharaui .- Eu estava na companhia de minhas sobrinhas e sobrinhos preparando a nossa visita ao túmulo da minha mãe, nos nossos carros, o meu e da minha sobrinha. Antes de passar o controle da Gendarmaria da ocupação marroquina na cidade ocupada de El Aaiun, eles nos fizeram parar. Recebi ordens para sair do carro e ficamos retidos por mais de uma hora, sem qualquer explicação, enquanto as crianças choravam e ficavam expostas às altas temperaturas dentro dos carros. Viam como o tio delas estava sendo mantido por indivíduos armados. O mais paradoxal foi que o gendarme do regime de ocupação não me deu nenhuma explicação, enquanto eu lhe perguntava repetidamente qual era o motivo da minha detenção.

Entre os gritos de angústia das crianças e o desespero das minhas sobrinhas, estive detido por mais de uma hora tentando descobrir o porquê dessa retenção, mas recebi o silêncio e a recusa dos gendarmes marroquinos em me dar uma resposta. A nossa visita ao túmulo da minha mãe falecida recentemente, em vez de ser uma visita de acordo com nossos costumes e crenças, tornou-se um pesadelo e lágrimas para as crianças que queriam lembrar a sua avó. Isto não é coincidência, é claro que foi uma represália e uma vingança pelos slogans com os quais dissemos adeus a minha mãe no seu funeral e às bandeiras saharauis com as quais cobrimos o seu túmulo. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Hmad Hamad: “Os direitos do nosso povo estão sequestrados”

PUSL entrevistou o vice-presidente da CODAPSO, o Sr. Hmad Hmad sobre a recente visita no passado dia 4 de Setembro da delegação da União Europeia aos territórios ocupados do Sahara Ocidental. O objectivo da visita era “consultar” a população sobre se era ou não beneficiada com os acordos UE/Marrocos de comercialização de produtos e recursos naturais deste território não autónomo ocupado desde 1975 militarmente por Marrocos. Recordamos que o Tribunal de Justiça da União Europeia em dois acórdãos considerou que o Sahara Ocidental é um território separado e distinto de Marrocos e não pode ser incluido nos acordos. Uma vitória legal para a Frente Polisario, o legitimo representante do povo saharaui junto dos organismos internacionais e a ONU.

PUSL: Sr. Hmad Hmad qual foi o objectivo da visita desta delegação da UE aos territórios ocupados?

Hmad: Esta delegação da União Europeia disse que queria “consultar” a população saharaui sobre se tínhamos ou não algum beneficio da exploração por Marrocos e empresas estrangeiras dos vastos recursos naturais deste território não autónomo.

Uma pregunta retórica , uma vez que a UE esta ciente que a população saharaui não usufrui de nada. Denunciamos diariamente as várias violações dos direitos humanos, o apartheid em que vivemos tanto a nivel politico, social como também económico e não podemos esquecer que a população saharaui não se encontra somente nos territórios ocupados, as nossas familias estão também nos campos de refugiados perto de Tinduf, Argélia, do outro lado do Muro de separação militar erguido por Marrocos, eles não só não usufruem de nada como estão dependentes da ajuda humanitária desde 1975. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A decisão do TJUE é recebida com alegria pelos saharauis nos territórios ocupados

Hmad Hamad, vice-presidente da CODAPSO, expressou o sentimento de justiça e alegria sentidos pela população saharaui nos territórios ocupados, sabendo que o TJEU mais uma vez publica uma decisão em que afirma claramente que Marrocos não pode vender os recursos naturais do Sahara Ocidental neste caso, pesca.

Hmad Hamad:

O dia 27 de fevereiro de 2018 é um dia muito especial e muito grande ao mesmo tempo, é o dia da celebração da proclamação da nossa nação e não há melhor presente para nós do que a decisão do Tribunal de Justiça Europeu que parou o roubo sistemático de recursos naturais saharauis e destruição da fauna marinha no território do Sahara Ocidental, deixando claro que Marrocos não tem vínculo com a nossa terra.

Nós sentimos a proximidade do mundo e uma profunda sensação de força para finalmente poder para a máquina do saqueo marroquino e seus capangas, de fato, não vamos parar agora, mas pelo contrário, temos que continuar lutando com argumentos e com justiça para paralisar todas as atividades ilegais que o Estado marroquino executa ilegalmente no território ocupado do Sahara Ocidental. Desta forma, abriremos as portas fechadas para a realização da autodeterminação e independência de nossa nação. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A verdadeira vontade do povo saharaui (por Hmad Hammad)

À Comunidade Internacional

Mais uma vez, o povo saharaui é traído, desta vez com a colaboração da União Europeia!

O Estado marroquino, com a cumplicidade do governo francês, está a tentar confundir a opinião pública internacional, num estratagema desavergonhado e baseado em uma grande mentira, orquestrado por Marrocos e França.

Esses dois países, ferozes inimigos da liberdade do povo saharaui, estão a tentar convencer a opinião da comunidade internacional e, em especial, o Tribunal Justica Europeu (que decidiu recentemente que os acordos comerciais entre a União Europeia e o Estado marroquino não podem incluir a Território ocupado do Sahara Ocidental) que a população saharaui aceita ser saqueada e roubada, para vender esta mentira apresentam os colonos marroquinos como saharauis. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Carta aos professores espanhois de visita a El Aaiun

Hmad Hamad escreve aos professores da época colonial espanhola:

Queridos Professores,

Escrevo esta carta porque não consigo expressar o que sinto sem que as lágrimas marejam os meus olhos.

Queria dar-vos as boas vindas de braços abertos e um sorriso no rosto, eram essas a boas vindas que merecem aqueles que nos transmitiram saber e participaram na nossa formação, não apenas académica mas como seres humanos.

Gostaria de dar-vos as boas vindas ao lado dos meus colegas e amigos e recebe-los nas nossas casas onde as nossas mães lhes poderiam agradecer todo o vosso trabalho e dedicação.

Infelizmente essas não são as boas vindas que posso dar. Não vós posso dar as boas vindas ao lado dos meus colegas e amigos porque após a vossa partida, e após o abandono de Espanha, Marrocos entrou e ocupou à força o Sahara, matou, assassinou, sequestrou e encarcerou os vossos alunos, meus amigos e colegas.

Muitos deles faleceram, desapareceram ou definharam nas masmorras marroquinas. Assim como eu fui detido e torturado quase até à morte, assim foi o destino de muitos deles. Read more

Ayúdanos a difundir >>>