CEBRAPAZ, Repúdio à decisão peruana de barrar a entrada da embaixadora saráui Jadiyettu El Mohtar

cebrapaz.org.br

Com alarme e indignação, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) denuncia a situação a que foi submetida, por decisão das autoridades peruanas, no aeroporto de Lima, a embaixadora da República Árabe Saráui Democrática (RASD), Sra. Jadiyettu El Mohtar*, detida no sábado (09/09), para ser eventualmente deportada.

O CEBRAPAZ soma-se a outras organizações civis da América Latina em defesa dos direitos humanos e associações de solidariedade com o povo saráui para demandar explicações e mudança no tratamento inaceitável oferecido à Sra. Jadiyettu El Mohtar, que é, aliás, uma diplomata de um país reconhecido pelo Peru.

Este reconhecimento pressupõe ao Peru deveres diplomáticos além das obrigações de respeito aos direitos humanos que, como denunciado pelo advogado da embaixadora saráui, podem estar ameaçados ao, por exemplo, negar-se o contato do advogado com sua cliente.

As organizações de defesa dos direitos humanos a que nos somamos, inclusive peruanas, também exortam o Peru a retomar suas relações diplomáticas com a RASD com base no direito à autodeterminação dos povos e a igualdade jurídica entre os Estados, como plasmado na Carta das Nações Unidas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Jadijethu moitar retida à entrada no Perú

Segundo noticias publicadas por vários meios de comunicação da América Latina a presidenta da UNMS (União de Mulheres Saharauis) e representante diplomática da RASD (República Arábe Saharaui Democrática) foi retida no aeroporto de Perú à entrada no país.

Segundo se pode ler em prensa latina o advogado que interveio o Dr. Xxxxx não teve autorização de falar com a Sra. Moitar e foi informado que possivelmente iria ser impedida de entrar no país tendo que regressar a Madrid.

Até ao momento não existem mais informações confirmadas.

PUSL recorda que a Sra. Moitar se tem deslocado sem problemas a vários países da América Latina na sua capacidade de líder da UNMS e integrando delegações oficiais da RASD. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Câmara dos Deputados do México acolhe a exibição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” do artista saharaui mexicano Antonio Velázquez Abdallahy

Foi inaugurada a exposição de pintura “saharauis: olhos refletindo a alma” de Antonio Velázquez que tem como objectivo solicitar o respeito e garantia da ONU dos direitos humanos e direito à autodeterminação do povo saharaui.

Com o pedido que o direito internacional seja aplicado e os direitos de liberdade e autodeterminação do povo saharaui contra a ocupação marroquina sejam respeitados, o “artivista” plástico António Velázquez, Abdallahy, inaugurou na segunda-feira no salão principal da Câmara dos Deputados a exposição “saharauis: olhos que refletem a alma”.

Tendo como convidados o Embaixador da República Saharaui Árabe Democrática, Ahmed Mulay Ali; o Embaixador da Cote d’Ivoire, Obou Marcellin Abie; o embaixador da República Bolivariana da Venezuela, María Lourdes Urbaneja de Durant; e vários deputados; o artista de origem tapatío reiterou o seu compromisso com a luta travada por este povo africano para recuperar a sua liberdade e afirmou que a arte é um caminho para o mundo ver e compreender os sentimentos desses lutadores.

“Esta coleção procura dar voz a um povo ancestral que vive no deserto e há vários anos luta pacificamente para recuperar a sua liberdade e independência”, disse Antonio Velázquez lembrando que como observador internacional do povo saharaui, foi capaz de documentar atrocidades e o genocídio que este enfrenta. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Ativistas latino-americanos pedem apoio para os saharauis

latinam_0Fonte: EIC Poemario por un Sahara Libre

Um apelo aos países da América Latina, para que expressem o seu apoio para com a luta do povo saharaui e levantar a voz contra as violações sistemáticas dos direitos humanos contra este povo no Norte de África, foi lançado por organizações não governamentais da Venezuela, Argentina, Bolívia , Brasil, Chile, Nicarágua Colômbia, Equador, México, Peru e Uruguai. Numa carta aberta aos líderes da América Latina, os ativistas reafirmaram a sua “solidariedade incondicional” com os presos políticos saharauis em prisões marroquinas e submetido a todos os tipos de indignidades, em particular aqueles que integram o “Grupo de Gdeim Izik” precursores da chamada “primavera árabe “.

Da mesma forma, eles manifestaram o seu apoio ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que foi atacado pelo Reino de Marrocos, depois de seus esforços para “facilitar uma solução não-violenta e de acordo com a legalidade internacional do conflito saharaui “. Neste sentido, também repudiaram a expulsão do componente civil e administrativo do MINURSO dos territórios ocupados.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>