O maior muro de separação do mundo

A extensão do muro chega para isolar por completo Portugal

*Imagem: Francesc Verdugo para porunsaharalibre.org

O muro marroquino no Sahara Ocidental, é o maior de seu tipo em todo o mundo mas ninguém fala nele, separa desde os anos 80 a população saharaui dos territórios ocupados dos seus familiares nos territórios libertados e nos campos de refugiados do sul da Argélia. É também ao longo do muro que se encontra o território mais minado per capita do mundo, que ceifou milhares de vidas.

O muro da vergonha no Sahara Ocidental, é composto por um conjunto de instalações militares ao longo dos seus 2.720 quilômetros de extensão e foi construído por Marrocos nos anos 80 para dividir a população saharaui, controlar os territórios ocupados, explorar ilegalmente e assegurar a segurança da mina de fosfatos “Fos Bucraa” , o acesso ao mar, para além das reservas e lençóis subterrâneos de água potável. É a maior barreira operacional militar no mundo, e o seu maior perigo reside nos campos de minas terrestres antipessoais e antitanque que já ceifaram a vida a milhares de saharauis. Existe uma companhia militar a cada cinco quilómetros e um radar a cada 15. Além disso existem tanques, drones, satélites e todos os equipamentos sofisticados de guerra.

O custo diário da manutenção do muro com mais de 150 000 soldados marroquinos estima-se em mais de 1 milhão de euros por dia. A construção teve o apoio dos EUA, Israel, França, Arabia Saudita e Qatar.

Para entender melhor a extensão do muro e a quantidade de minas há que dar um termo de comparação. Se o muro fosse construído na Europa seria suficientemente grande para isolar por completo Portugal Continental (todo o perímetro tanto fronteiras terrestres como marítimas); a ilha da Madeira e as ilhas de São Miguel , São Jorge, Faial e Corvo do arquipélago dos Açores. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Muro em torno de El Aaiun ocupado. Proteção ou agressão.

arton1910-566ed

Terça-feira 19 de abril de 2016, por Equipe Media

De 17 março a 13 abril 2016, uma empresa vassala das autoridades de ocupação marroquinas construiu um muro de 4 km de cumprimento em El Aaiun, em torno do Bairro 25 de Março, a leste de El Aaiun, a uma distância de 500 m. De acordo com informações recolhidas pela Equipe de media, esse trecho é o primeiro de uma parede destinada a cercar toda a cidade, o que representarumia 20 a 25 km em perímetro.

O muro, com 1,70 m. de altura e 2 metros de largura, vai desde a franja Oued Essaguia ao posto de controle localizado na estrada entre El Aaiun e Smara ocupada. Foi construído com areia e rochas pela sociedade Omar Sbayou, que se mobilizou para as obras 60 trabalhadores e 4 bulldozers Poclain e 6 camiões.

O funcionário, Omar Sbayou, é um ex-membro do exército marroquino responsável pelas prisões de civis saharauis, tendo-se tornado um empresário muito rico no Sahara Ocidental. Seus trabalhadores são colonos marroquinos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Mohamed Abdelaziz apelou à ONU para que investigue a morte do cidadão saharaui Yuli Achmad Abad

rais-ban_1_1Bir Lahlou, 29/02/16 (SPS)

O Presidente da República e Secretário-Geral da Frente Polisário, Mohamed Abdelaziz pediu na segunda-feira a Ban Ki Moon, secretário-geral da ONU, que seja investigada a morte do cidadão saharaui Achmad Abad Yuli que ocorreu enuma zona desmilitarizada.

“O crime cometido este sábado pelas forças da ocupação marroquinas, contra um cidadão saharaui inocente, numa área que está sob a responsabilidade das Nações Unidas constitui um acto criminoso hediondo e salienta a necessidade de tomar medidas firmes e severas para lidar com tais atrocidades” assinala Abdelaziz ao secretário-geral da ONU.

O Presidente recordou que a ONU é o principal responsável por assegurar o cumprimento do plano da resolução das Nações Unidas no Sahara Ocidental, em todos os seus aspectos, incluindo o cessar-fogo, assinado sob a sua supervisão em 6 de setembro de 1991, em preparação para a organização de um referendo de autodeterminação do povo saharaui.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>