Repórteres Sem Fronteiras denuncia a implacável perseguição marroquina aos jornalistas saharauis

  • RSF exige que Marrocos permita que a imprensa internacional entre no Sahara Ocidental
  • Insta o Governo marroquino a garantir processos judiciais justos para os jornalistas saharauis e o respeito pela sua integridade física e psicológica;
  • O exercício do jornalismo na ex-colônia espanhola é um “ato de heroísmo” e os seus protagonistas pagam com detenções arbitrárias, perseguição às suas famílias, tortura, sentenças injustas e prisão
  • Repórteres SF pede a Espanha e a França para quebrar o seu habitual “silêncio cúmplice” com Marrocos

Alfonso Lafarga / Contramutis .- Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denuncia a perseguição sofrida por jornalistas saharauis por Marrocos, que manipula com “mão de ferro” a informação no Sahara Ocidental, pune “implacavelmente” o exercício do jornalismo local e bloqueia o acesso dos meios de comunicação estrangeiros.

A RSF exige que Marrocos permita que a imprensa internacional entre no Sahara Ocidental, com liberdade de movimento pelo território, e ponha fim à expulsão de jornalistas, exortando o Governo marroquino a garantir processos judiciais justos para os jornalistas saharauis presos, e que as demandas da ONU em relação à sua libertação devem ser atendidas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Julgamento contra Nazha Khatari El-Khalidi adiado para 24 de junho

PUSL, 20 de maio de 2019 .- De acordo com as informações da Equipe Media, o julgamento da activista saharaui e jornalista da Equipe Media, Nazha Khatari El-Khalidi, foi adiado para 24 de Junho.

O adiamento do processo contra El Khalidi foi justificado pelo tribunal com a necessidade de inspecionar mais pormenorizadamente o conteúdo do telemóvel de El Khalidi que foi confiscado pela polícia no início de dezembro do ano passado.

El Khalidi enfrenta graves acusações por filmar uma manifestação pacífica de cidadãos saharauis nas ruas de El-Aaiún, capital do Sahara Ocidental ocupado pelo Reino de Marrocos desde 1975.

No contexto do mesmo processo judicial, em 19 de maio, as forças de ocupação marroquinas expulsaram sete observadores internacionais que pretendiam comparecer ao julgamento. Os cinco advogados espanhóis e dois membros noruegueses da Fundação RAFTO que pretendiam observar os procedimentos do julgamento foram expulsos sem qualquer outra justificação “que é proibido entrar no Sahara Ocidental” no controlo fronteiriço no aeroporto de El Aaiun pelas autoridades marroquinas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos: lei usada para silenciar jornalistas

Mulher que filmou a polícia enfrenta 2 anos na prisão

(Nova Iorque) HWR – As autoridades marroquinas estão a utilizar uma lei destinada a impedir que as pessoas reivindiquem falsamente credenciais profissionais para acusações criminais contra pessoas que tentam expor abusos, disse hoje a Human Rights Watch.

No último caso, Nazha Khalidi, que é afiliada ao grupo ativista Equipe Media em El-Aaiun, no Sahara Ocidental, será julgada a 20 de maio de 2019, acusada de não cumprir os requisitos para se intitular jornalista. A polícia prendeu-a a 4 de dezembro de 2018, enquanto ela estava a transmitir em directo no Facebook uma cena de rua no Sahara Ocidental e denunciando a “repressão” marroquina. Ela pode ser condenada a dois anos de prisão.

“As pessoas que falam pacificamente nunca devem ter medo de ser presas por ‘fingir’ serem jornalistas”, disse Eric Goldstein, diretor adjunto do Oriente Médio e Norte da África da Human Rights Watch. “As autoridades não deveriam estar a usar uma lei destinada a impedir que uma pessoa não qualificada alegue ser um médico, por exemplo, para punir pessoas cujos comentários lhes desagrade.” Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa: “Ser jornalista no Sahara Ocidental ocupado”

PUSL.- As Nações Unidas, numa de suas primeiras assembleias gerais, afirmaram que: “A liberdade de informação é um direito fundamental e … a pedra angular de todas as liberdades às quais as Nações Unidas são consagradas”.

Nos territórios ocupados do Sahara Ocidental, este direito, como muitos outros, não é respeitado por Marrocos, atacando, torturando e encarcerando os saharauis que, pondo em risco as próprias vidas, trabalham para que a luta pela liberdade do povo não caia no esquecimento, denunciando os abusos a que são submetidos pelo ocupante ilegal.

Marrocos aplica este bloqueio informativo não apenas jornalistas saharauis, mas também aos meios de comunicação internacionais aos quais é proibido exercer o seu trabalho na área e a entrada no território ocupado é apenas permitida aqueles que recebem autorização do Ministério do Interior com o compromisso prévio de cumprir com as exigências exigidas e desejadas pelo regime. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Julgamento de jornalista saharaui adiado

PUSL.- O julgamento de Nazha El Khalidi, que deveria ter ocorrido hoje, foi adiado para 20 de maio a pedido de seu advogado, já que ela está na Europa participando em várias conferências.

Khalidi, uma ativista dos meios de comunicação saharauis, colaboradora da Equipe Media e da RASD-TV, foi detida por várias horas no dia 4 de dezembro de 2018 enquanto transmitia ao vivo o protesto nos meios de comunicação sociais.

De acordo com a Equipe Media, ela disse que foi espancada, presa e que o seu telemóvel foi confiscado.

A jovem é agora acusada de “reivindicar ou usurpar um título associado a uma profissão que é regulada por lei sem antender às condições necessárias para usá-la”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Ahmed Brahim Ettanji: “A nossa aposta contra a violência marroquina é agir pacificamente”

heraldo.es Gervasio Sánchez.- Ahmed Brahim Ettanji (1988) nasceu em El Aaiún e é presidente da Equipe Media, um meio que tenta romper o bloqueio das informações marroquinas.

Quando e porque a Equipe Media, a organização de comunicação que você dirige no Sahara Ocidental, foi fundada?

Em 2009, há dez anos, com o objectivo de superar o bloqueio de informação imposto pelas autoridades marroquinas que ocupam a nossa terra. Somos um grupo de ativistas, jornalistas e juristas.

Você recebe ajuda financeira européia ou espanhola?

Recebemos câmeras e computadores como doações e ajuda financeira de uma organização sueca para filmar um documentário intitulado “Três Câmeras Roubadas”, que ganhou vários prêmios em festivais internacionais. Existem leis marroquinas que criminalizam o financiamento externo. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Salah Lebsir Prisioneiro político e jornalista saharaui transferido para a prisão de Bouzakarn

PUSL.- O activista político e jornalista, Salah Eddine Lebsir, foi transferido da prisão de Tata para a prisão de Bouzakarn na noite passada.

Salah Eddine Lebsir foi detido em 6 de junho de 2015, por participar em manifestações pacíficas na cidade de Smara, reivindicando o direito à autodeterminação do povo saharaui. Ele é um ativista político e jornalista conhecido pelas autoridades marroquinas. Lebsir foi condenado a quatro anos terminando a sua sentença em junho de 2019.

Durante o período de encarceramento, realizou várias greves de fome, exigindo tratamento humano e respeito pelos seus direitos elementares.

O jornalista foi transferido da prisão de Tata, que fica a 719 km de El Aaiun (capital do Sahara Ocidental), para Bouzakarn, a 479 km de distância. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Jornalistas saharauis condenados a dois anos de prisão

PUSL.- Mohamed Salem Mayara, jornalista e Mohamed Alchomyai reporter de imagem foram condenados a 2 anos de prisão no passado dia 5 de Setembro, pelo tribunal de primeira instância de El Aaiun capital dos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Os dois jornalistas pertencem à equipa da “smara news” um meio de comunicação saharaui, difundido nas redes sociais para romper o silêncio e blackout mediatico imposto pelo Reino de Marrocos que ocupa o território do Sahara Ocidental de forma ilegal atravez de uma presença militar, para militar e policial que mantem a população saharaui sob um dominio de terror , sequestros, tortura apartheid, social, politico e economico desrespeitando em absoluto as resoluções das Nacões Unidas.

Os dois jornalistas estavam a documentar um manifestação pacifica quando foram detidos a 27 de Março deste ano. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos adia julgamento de jornalista saharaui

O tribunal de primeira instância de El Aaiún adiou hoje para 14 de Maio o julgamento de Laaroussi Ndour, detido arbitrariamente no passado dia 2 de Maio.

O fotógrafo e editor do Bentilli Center, um dos vários grupos de comunicação social saharauis dos territórios ocupados, que diariamente denunciam e filmam as violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental cometidas por Marrocos foi detido de forma violenta na Avenida Smara segundo testemunhas várias.

Esta manhã quando foi presente a tribunal não tinha o aparelho auditivo que necesita e que lhe foi retirado pelas autoridades de ocupação marroquinas.

O julgamento teve que ser adiado uma vez que Ndour estava com dificuldades de audição.

Amigos, activistas e familiares foram ao tribunal demonstrar o seu apoio ao jornalista e em protesto pela sua detenção arbitrária. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos detém jornalista saharaui – Dia Internacional da Liberdade de Imprensa

Um dia antes do Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, as autoridades de ocupação marroquinas detiveram Laaroussi Ndour, fotógrafo e editor do Bentilli Center, um dos vários grupos de comunicação social saharauis dos territórios ocupados, que diariamente denunciam e filmam as violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental cometidas por Marrocos.

A detenção do jornalista Ndour enquadra-se na política sistemática de silenciar os meios de comunicação saharauis, cujos jornalistas são perseguidos e vitimas de maus tratos, torturas e detenções.

Laaroussi Ndour de 26 anos foi detido na noite de 2 de março de 2018 na rua Smara em El Aaiún, capital do Sahara Ocidental ocupado. Segundo testemunhas o jornalista foi detido por um grupo da polícia marroquina e transferido num carro da polícia para a esquadra central. Este jovem jornalista saharaui tem sido perseguido várias vezes pelas autoridades de ocupação por causa das suas convicções políticas.

Bentili, responsabiliza o Estado marroquino pela integridade física de Larousse Ndour , e condena veementemente esta retaliação contra os jornalistas Saharaui. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

As autoridades de ocupação colocaram dois jornalistas saharauis na prisão de El Aaiún ocupado

Aaiún ocupada. (Equipe Media) – As autoridades de ocupação marroquinas, em 1 de abril de 2018, levaram dois jornalistas saharauis para a prisão negra em El Aaiún ocupada; depois de passarem 72 horas em prisão preventiva dentro da esquadra de polícia na cidade de Smara ocupada.

As falsas acusações que as autoridades de ocupação fabricaram, contra os dois jornalistas, são: tentativa de homicídio de um policial, barricadas e funcionários públicos humilhantes no desempenho de suas funções. Ambos os jornalistas – Mohamed Salem Mayara e o fotógrafo Mohamed Aljomayaai – foram presos num café em vias públicas.

A detenção ocorreu um dia após a publicação de um relato televisivo saharaui que mostra os protestos saharauis, o caos da segurança na cidade que levou os colonos marroquinos a atacarem os activistas saharauís, ferindo mais de cinco deles. O relatório também mostra quando os ativistas são transferidos para o hospital da cidade, e lhes é negado atendimento médico. Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2 3