CEA da Universidade do Porto assina protocolo com Universidade de Tifariti

(fotos Henrique Borges)

PUSL.- O Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP) e a Universidade de Tifariti assinaram ontem um protocolo que tem como objectivo a colaboração academica e o desenvolvimento de projectos.

O Reitor da Universidade de Tifariti, o Prof. Jatari Anda-la Ahmed Salem participou anteontem na 1ª Conferência CEAUP “SISTEMAS EDUCATIVOS NA ÁFRICA OCIDENTAL” e expôs a situação vivida pelo povo saharaui nos territórios ocupados e nos Campos de refugiados.

A universidade de Tifariti é um projecto único no mundo visto estar localizada nos Campos de refugiados saharauis no deserto Argelino.

A conferência e a assinatura do protocolo deram a oportunidade a docentes e estudantes da Universidade do Porto conhecerem a realidade vivida pela populaçāo saharaui e o empenho do governo saharaui no desenvolvimento de um ensino de qualidade. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Comunicado MPT: Sobre a situaçao insustentável do Povo Saharaui

O MPT, coerente com os valores que preconiza, reafirma a sua solidariedade com o povo saharaui e o seu legÍtimo representante, a Frente Polisário, e com seu inalienável direito à autodeterminação em conformidade com as resoluções da Nações Unidas, da União Africana e os pareceres e acórdãos do Tribunal de Haia e do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJEU), condenando a ocupação militar ilegal de grande parte do território do Sahara Ocidental pelo Reino de Marrocos, bem como a alteração demográfica com a introdução de centenas de milhares de colonos.

É com particular preocupação que vemos a inércia por parte da comunidade internacional em relação a esta ocupação que se prolonga desde 1975 e que não terminou, como seria de esperar em 1991, com a assinatura do acordo de cessar-fogo cujas premissas não têm sido respeitadas por Marrocos, que tem colocado entraves consecutivos à realização do referendo para a autodeterminação, única razão pela qual se mantém uma Missão das Nações Unidas no terreno há mais de duas décadas e cujo mandato não inclui a proteção da população saharaui. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Verdes Contestam Acordo de Pescas entre a União Europeia e Marrocos nos Territórios Ocupados do Sahara Ocidental

port.pravda.ru.- O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através doMinistério dos Negócios Estrangeiros sobre o a revisão do acordo de pescas entre a União Europeia e o Reino de Marrocos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental ou nas suas águas adjacentes, sobre o qual o Tribunal Europeu de Justiça se pronunciou novamente de forma clara contra a sua aplicação.

Pergunta:

Através de um acórdão de 27 de fevereiro, o Tribunal Europeu de Justiça pronunciou-se novamente de forma clara contra a aplicação do acordo de pescas entre a União Europeia e o Reino de Marrocos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental ou nas suas águas adjacentes, sob pena de constituir uma violação do direito internacional e do direito à autodeterminação do povo Saharaui, baseando esta decisão nas resoluções da ONU.

Desta forma, a soberania de Marrocos sobre o Sahara Ocidental não é reconhecida pela ONU nem pela União Europeia, pelo que um acordo com Marrocos nunca se poderá aplicar ao Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Assembleia da República aprova voto sobre o Sahara Ocidental

A Asssembleia da República de Portugal aprovou no passado dia 11 de Maio um voto de solidariedade com o povo saharaui pelo respeito e concretização do seu direito à autodeterminação apresentado pelo Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português.

O voto aprovado afirma que uma solução justa e douradoura do conflito passa necessariamente pelo fim da ilegal ocupação dos territórios do Sahara Ocidental por parte do Reino de Marrocos e da sua política de desrespeito pelos direitos humanos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Organização portuguesa pede intervenção do parlamento pela independência do Sahara

24.sapo.pt.- O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) pediu hoje ao parlamento que intervenha junto do Governo português, das autoridades marroquinas e das Nações Unidas para defender o direito à autodeterminação do povo saharauí.

“Solicitamos que intervenham junto da ONU, do Governo português ou de Marrocos, das formas que puderem, porque há direitos que não são respeitados e decisões da ONU que não são respeitadas”, afirmou hoje a presidente da direção do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ilda Figueiredo, durante uma audiência com a comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros.

A responsável defendeu também a necessidade de respeitar o “direito humanitário” dos presos políticos saharauís.

A situação destes detidos foi descrita pelo representante da Frente Polisário em Portugal, Mohamed Fadel, como o problema mais relevante quanto aos direitos humanos “nos territórios ocupados por Marrocos”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Seminário sobre Sahara Ocidental no Porto

Organizado pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto, celebrou-se ontem 15 de março um seminário sobre o Sahara Ocidental, na Cooperativo do Povo Portuense, com a participação de Mohamed Fadel, delegado de Frente Polisario em Portugal e Isabel Lourenço activista de direitos humanos, membro da Fundación Sahara Occidental e  colaboradora do porunsaharalibre.

Mohamed Fadel iniciou o debate com um breve resumo histórico e informação sobre os últimos desenvolvimentos do conflito, nomeadamente as recentes decisões do Tribunal de Justiça da União Europeia.

Após a projecção de um video sobre a realidade vivido nos território ocupados, Isabel Loourenço abordou a questão deste território, uma enorme prisão a céu aberto, onde as forças de ocupação marroquinas invadem as casas da população saharaui sem respeitar nem crianças, nem idosos, e falou sobre as manifestações desta população exigindo a garantia dos seus direitos económicos e sociais e o direito a autodeterminação que são reprimidas de forma violenta.

Abordou ainda o silêncio meditático imposto ao território assim a expulsão de observadores se jornalistas.

A activista explicou a de forma resumida o acampamento de protesto conhecido por Gdeim Izik as consequentes detenções, torturas e sequestros. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Conferências sobre Sahara Ocidental no Porto

Nos próximos dia 15 e 16 de Março, realizara-se-ão no Porto dois seminários sobre o Sahara Ocidental organizadas pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto.

Os seminários têm como titulo “Sahara Ocidental balanço de um processo de Paz adiado” e contarão com a participação do Sr. Mohamed Fadel, delegado da Frente Polisario em Portugal e Isabel Lourenço, activista de direitos humanos membro da Fundación Sahara Ocidental e colaboradora do porunsaharalibre.

No dia 15 o seminário terá lugar na Cooperativa Porto Portuense pelas 21h30 e no dia 16 no Anfiteatro 2 do GAE2 na Faculdade de Letras do Porto, pelas 17h00. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Parlamento Português aprova voto sobre Sahara Ocidental

No dia 9 de Março 2018, foi aprovado, um voto apresentado pelo Bloco de Esquerda pelo relançamento do processo negocial sobre o Sahara Ocidental, “sob a égide das Nações Unidas”.

No voto, exprime-se a “profunda convicção de que este é um momento para uma solução política” que garanta a autodeterminação do povo do Sahara ocidental” e é destacado o encontro, em 06 de março, em Lisboa, do enviado do secretário-geral da ONU com representantes de Marrocos.

O voto foi aprovado com os votos do Bloco de Esquerda, Partido Comunista Português, Partido Ecologista “Os Verdes”, PAN (Pessoas-Animais-Natureza) e o Partido Socialista. O PSD (Partido Social Democrata) votou contra e o CDS absteve-se. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Pergunta do PCP ao governo português sobre situação dos presos políticos saharauis

Na pergunta dirigida ao Governo (através dos Ministério dos Negócios Estrangeiros) pela Senhora Deputada Carla Cruz, do Grupo Parlamentar do PCP, sobre a “Situação dos presos políticos saharauis”, o PCP questiona o governo se tem conhecimento ou contactou as instituições internacionais sobre este assunto.

O grupo parlamentar do PCP tem dirigido várias perguntas ao governo sobre esta matéria e a grave violação dos direito humanos por parte da força de ocupação marroquina nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Esta bancada parlamentar tem ainda apresentado votos e moções pela libertação dos presos políticos saharauis e pelo respeito do direito inalienável do povo saharaui à autodeterminação, que tem sido aprovados pela maioria dos deputados dos vários partidos representados na Assembleia da República. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

FRENTE POLISARIO NA FESTA DO AVANTE 2017

A Frente Polisario participa na 41a primeira edição da Festa do Avante com um stand político e uma delegação politica encabeçada pelo delegado Ahmed Fal.

No sábado dia 2 às 18h00 de Setembro realizar-se-á um acto de solidariedade com o povo saharaui.

A questão dos presos políticos saharauis é o tema central do stand este ano. Muitos são os visitantes da festa que se acercam do stand da Polisario para declarar a sua solidariedade com o povo saharauis e os presos, em especial com o grupo de Gdeim Izik. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A CGTP-IN expressa o seu repúdio pela sentença de Gdeim Izik

A CGTP-IN expressa o seu repúdio pela sentença decretada pelo tribunal marroquino aos 20 activistas Saarauís presos no protesto pacífico de Gdeim Izik.

O chamado “acampamento da dignidade” foi um protesto pacífico de mais de 20.000 Saarauís contra o despedimento massivo de trabalhadores e trabalhadoras Saarauís, os julgamentos arbitrários e sem garantia, uma actuação que prossegue a continuada violação dos direitos humanos deste povo por parte do Reino de Marrocos.

Uma decisão ilegítima que procura intimidar todo um povo e negar-lhe o seu inalienável direito à auto-determinação, perpetuando a política de exploração e saque das riquezas naturais do seu território.

O processo a que foram sujeitos estes activistas Saarauís denuncia uma vez mais o significado da submissão deste povo ao domínio marroquino Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2 3 4 7