Como Marrocos tenta obstruir o trabalho do enviado especial da ONU para o Sahara Ocidental

Horst KöhlerFonte: TSA (Argélia) Por: Sonia Lyes 12 de agosto de 2018 / Tradução não oficial de Poesia EIC para espanhol para um Sahara Livre

A apresentação feita por Horst Kohler, representante pessoal do Secretário Geral das Nações Unidas para o Sahara Ocidental, ao Conselho de Segurança da ONU sobre a sua recente visita à região, foi precedida nos bastidores por manobras marroquinas destinadas a antecipar a apresentação e limitá-la a um simples fato.

Isto é revelado numa carta enviada pelo Representante Permanente de Marrocos à ONU aos quinze membros do Conselho de Segurança da ONU em 6 de agosto, dois dias antes da apresentação de Horst Kohler.

“O Conselho de Segurança realizará em 8 de agosto de 2018 a sua terceira consulta em seis meses sobre a questão do Sahara marroquino. A reunião foi solicitada pelo representante pessoal do Secretário Geral, Sr. Horst Kohler, o briefing será apenas um relatório objetivo da sua visita à região em junho passado “, escreveu Omar Hilale (embaixador de Marrocos para a ONU em Nova Iorque), acrescentando que “Marrocos teria preferido esta terceira apresentação e o representante pessoal teria sido ouvido numa fase posterior “. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Comunicado de imprensa de Koehler

Horst KöhlerPUSL.- Após a visita ao Sahara Ocidental o enviado pessoal do Secretário-geral da ONU para este territorio emitiu um comunicado que fica muito aquém daquilo que se esperava. Koehler parece não querer “aborrecer” o ocupante marroquino e não menciona que a população saharaui saiu em massa à rua deixando claro que não existe outra solução que não seja a autodeterminação.

O ex-presidente da alemanha, ex-negociador do tratado de Maastricht, ex-membro da comissão trilateral e com ligações ao grupo Bilderberg, ex-presidente do FMI, ex-presidente do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento, co-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento e autor do plano Marshall para Africa decidiu no seu comunicado enfatizar a necesidade de uma solução “realista e de compromisso” que abra as portas ao investimento estrangeiro e criação de emprego na região. Parecendo mais preocupado com a economia e o investimento estrangeiro que com a ocupação e a máquina de repressão do ocupante. as detenções arbitrárias, os desaparecimentos forçados, a apropriação da cultura, a imposição da nacionalidade marroquina aos saharauis, a alteração dos nomes saharauis para que fiquem “marroconizados”, as torturas, etc etc etc Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Situação do jovem saharaui Eyub Ali Buyema

PUSL.- De acordo com um comunicado de imprensa do Ministério para os territórios ocupados da RASD o jovem saharaui Eyub Ali Buyema, de 18 anos, vizinho de El Aaiún, estudante do ensino secundário, ao qual Marrocos impõe o nome de Ayub Elghan, participou nas manifestações de El Aaiún, a 28 de junho de 2018, altura em que foi atropelado, por um carro de polícia, marca Toyota, modelo “Prado”, com a matricula número 147251, conduzido pelo agente policial marroquino, Mohsen Essrighni.

Como resultado do atropelamento , o jovem sofreu ferimentos graves devido aos quais teve que ser transferido para o hospital Hassan Ben Mehdi. Lá, a negligência da equipe administrativa e de saúde do hospital piorou a sua situação clínica, devido à forte hemorragia interna que sofreu. Na sexta-feira, 29 de junho, no mesmo hospital, o jovem apresentava um quadro clínico complicado. A família do jovem, nas portas do hospital, foi impedida de vê-lo. Assim que as autoridades de ocupação tomaram consciência da gravidade do caso, impediram a sua família de visitá-lo e, além disso, não ofereceram nenhuma informação verídica, esperando que o enviado pessoal da ONU deixasse o território, para não inflamar a população saharaui ainda mais, que continuava a manifestar-se em diferentes partes do Sahara Ocidental.

Para ganhar tempo, Marrocos usou os truques mais inefáveis ​​e ignominiosos.

Primeiro, disseram à família que o jovem estava numa situação estável e que ele seria transferido numa ambulância, para uma das cidades marroquinas para tratamento. Mais tarde, já no sábado, 30 de julho, mais uma vez, eles foram informados de que iriam transferi-num avião para a cidade marroquina de Marrakech, mas pouco depois a familia foi notificada de que o avião havia sofrido uma falha técnica. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Visita do Enviado Persoal do SG da ONU, Sr. Horst Köhler, ao Sahara Ocidental.

Ministério dos territórios Ocupados da RASD
Comunicado de imprensa
1º de julho de 2018

O enviado persoal da ONU, chegou a El Aaiun (capital do Sahara Ocidental), na quinta-feira 28 de junho, 2018, para iniciar a sua primeira visita aos territórios ocupados, a fim de ter uma melhor compreensão da situação real no terreno.

Esta visita enquadra-se no marco do estabelecido na última Resolução do Conselho de Segurança da ONU, sobre o Sahara Ocidental, em 27 de abril, que convida ambas as partes, a Frente Polisario e o Reino de Marrocos, a entrarem em negociações. directas, sem condições prévias, para chegar a um acordo que proporcione a autodeterminação do povo saharaui.

A partir do momento do anúncio da visita, as autoridades de ocupação marroquinas, colocaram todos os esforços para evitar qualquer sinal de expressão da livre vontade do povo saharaui, afogando a cidade num mar de forças de todos os tipos e condições de segurança, impondo um autêntico toque de recolher e lei marcial e estabelecendo o encerramento hermético do território a qualquer observador internacional que quisesse entrar. Tudo isso, com o objetivo de exibir, perante o enviado da ONU, a falácia de que o território é um refúgio de paz e estabilidade. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Jovem saharaui entre a vida e morte por gritar “Autodeterminação”

PUSL.- A 28 de Junho, no primeiro dia da visita de Horst Koehler, enviado pessoal do Secretário Geral das Nações Unidas para o Sahara Ocidental, a El Aaiun, a policia atacou violentamente a população saharaui que saiu às ruas para deixar uma mensagem clara a ONU: Maghreb Barra, Labadil Labadil antakrir el Massir – Marrocos Fora – não há outra solução que não seja a autodeterminação.

Durante a repressão aos manifestantes um carro da polícia atropelou e feriu fatalmente o jovem Ayoub Ali Elghan. Segundo as testemunhas presentes o carro empurrou o jovem contra um muro onde o “esmagou”. A familia informou que no hospital foi diagnosticado com fractura da bacia e várias outras fracturas, hemorragias internas, ferimentos na cabeça.

No dia 29 de Junho o jovem que entrava e saía de coma e cuja situação é muito critica, foi transferido para um avião fretado para o transportar acompanhado da sua mãe para um hospital em Marrakesh, fora dos territórios ocupados. O avião teve uma avaria e regressou a El Aaiun.

Ayoub encontra-se no hospital de El Aaiun e em estado muito grave.

As autoridades marroquinas receando o pior filmaram Ayoub no hospital e obrigaram-no a dizer que não foi um carro da Policia mas sim um carro civil que o havia atropelado junto das vivendas na Avenida Smara, fazendo circular o video nas redes sociais. (ver video 1) Read more

Ayúdanos a difundir >>>

El Aaiun: população Saharaui sai à rua e exige independência à chegada do enviado da ONU

PUSL.- As autoridades marroquinas “esvaziaram” durante o dia a cidade de El Aaiun, capital do Sahara Ocidental ocupado para preparar a visita de Horst Koehler, enviado especial do Secretário-geral das Nações Unidas para o Sahara Ocidental.

Esta limpeza iniciou-se a semana passada com detenções, aumento de repressão, e incremento de forças policiais, militares e auxiliares.

Esta tarde após a chegada de Koehler ao aeroporto de El Aaiun a população saharaui surpreendeu as autoridades de ocupação ao sair em massa para as ruas exigindo a autodeterminação e saida imediata de marrocos do território.

Na ronda à região Koehler ja esteve em Tindouf nos campos de refugiados saharauis onde foi recebido pelo presidente da RASD e secretário geral da Frente Polisario e manteve encontros com membros do governo, também já se encontrou com representantes do governo marroquino em Rabat. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos “limpa” El Aaiun antes da visita do enviado das Nações Unidas

jornaltornado.pt.- Há alguns dias que se assiste em El Aaiun, capital do Sahara Ocidental ocupado a invasões domiciliárias e detenções arbitrárias de cidadãos saharauis por parte das autoridades marroquinas.

O anúncio da visita de Horst Koehler, ex-presidente da Alemanha e actual enviado pessoal do Secretário Geral das Nações Unidas aos territórios ocupados do Sahara Ocidental para contactar a MINURSO (Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental), colocou as forças de ocupação num frenesim superior ao habitual.

Horst Koehler, reunirá novamente no final de Junho com as partes em conflito para pressionar pela retomada das negociações de paz, segundo fontes diplomáticas. O ex-presidente da Alemanha irá reunir com as autoridades marroquinas em 28 e 29 de Junho em Rabat e deve viajar para El Aaiun, no Sahara Ocidental, para contactar com os capacetes azuis da Minurso.

Outra fonte disse que o emissário também deveria ir a Tindouf, onde a Frente Polisario está localizada, no extremo oeste da Argélia, especificando que as datas precisas desta viagem ainda não foram definidas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Köhler promete esfuerzos en su primera visita a los campos de refugiados

Campos de refugiados de Tinduf (Argelia), 18 oct (lavanguardia.com).- El enviado especial del secretario general de la ONU para el Sahara Occidental, Horst Köhler, aseguró hoy que no tiene “una varita mágica”, pero que desplegará “todos su esfuerzos” para sacar al conflicto del bloqueo que padece desde 2012.

En su primera visita a los campamentos de refugiados en los que los saharauis viven desde que en 1975 Marruecos ocupó su territorio, el expresidente alemán fue recibido por cientos de personas en la calle y se reunió con el primer ministro, Abdelkader Taleb Omar.

“Es una visita que da un valor añadido, ya que tiene la actitud y la capacidad de hacer avanzar las cosas. Cuenta con el respaldo del secretario general”, explicó a Efe el coordinador saharaui con la misión de la ONU en el Sahara (MINURSO), Mohamad Jadad.

“Es necesario reanudar la negociación y buscar una solución justa porque si no hay una solución las cosas pueden empeorar. La paciencia tiene un límite”, advirtió.

Al hilo de este argumento, Jadad insistió en que, más allá de las piedras que coloca Marruecos, “el obstáculo número uno a día de hoy son algunos de los países miembros del Consejo de Seguridad”, en velada alusión a Francia.

“Existe un falta de deseo firme en el Consejo de Seguridad” para hacer avanzar la negociación y forzar la celebración del referéndum de autodeterminación prometido tras el alto el fuego firmado en 1991, subrayó.

Köhler llegó a primera hora de la mañana al aeropuerto de Tinduf a bordo de un avión oficial español y fue recibido a pie de pista por el propio Mohamad Jadad y la jefa de la Minurso, la canadiense Kim Bolduc.

De allí se dirigió al campamento de refugiados de Auserd, donde asistió a un desfile militar, visitó una tienda tradicional beduina, departió con grupos de mujeres y paseó junto a la población, a la que trasladó su compromiso de “hacer todos los esfuerzos” a su alcance.

Después se trasladó a Esmara, donde se reunió con Taleb Omar y otros miembros de la oficina política del Frente Polisario, así como con el equipo negociador saharaui y diferentes representantes de la sociedad civil.

El viaje, que forma parte de una gira que lo llevará también a Argelia y Mauritania, concluirá mañana con un encuentro con el presidente de la República Árabe Saharaui Democrática (RASD), Brahim Ghali.

La visita a los campamentos se produce apenas 24 horas después de que Köhler fuera recibido en Rabat por el rey de Marruecos, Mohamed VI, una recepción de la que la prensa oficial marroquí apenas ofreció información.

Tampoco se han dado detalles sobre las reuniones de trabajo previas que el antiguo mandatario germano mantuvo en Rabat con el ministro de Asuntos Exteriores, Naser Burita, y con diplomáticos de los llamados “países amigos del Sahara”.

Su gira no incluirá, sin embargo, los territorios saharauis bajo ocupación marroquí, sin que se sepa si ha sido por decisión del propio Köhler o por imposición de Rabat, que ya impidió esa visita a su predecesor, Christopher Ross.

Se espera que el alemán presente su primer informe sobre el Sahara Occidental en un plazo de seis meses, un documento en el explicará la “nueva dinámica” que la secretaría general de la ONU prometió fomentar en abril.

Ayúdanos a difundir >>>