PSD e CDS contra esforços encetados pela ONU do reinicio das negociações entre o Reino de Marrocos e a Frente Polisário

PUSL – JORNAL TORNADO.- O voto de congratulação apresentado pelo Grupo Parlamentar do PCP (Partido Comunista Portugês) na Assembleia da República, pelos esforços encetados pelas Nações Unidas para o reinício das negociações entre o Reino de Marrocos e a Frente Polisário teve a provação do ponto 1, com a votação a favor do PCP (Partido Comunista Português), PEV (Partido Ecologista os Verdes), PS (Partido Socialista), BE (Bloco de Esquersa) e PAN (Partido dos Animais e Natureza) tendo tido a abestenção de 1 deputado do CDS (Partido do Centro Democrático Social) e os votos contra de PSD (Partido Social Democrata) e CDS.

Ponto 1- Congratula-se com os esforços para alcançar uma solução justa e duradoura para o Sahara Ocidental, que passará necessariamente pela efetivação do direito à autodeterminação do povo Saharaí, no respeito dos princípios da Carta das Nações Unidas e do direito internacional

O Ponto 2 foi rejeitado com os votos contra do PSD, CDS e PS, contando apenas com os votos favoráveis do PCP, PEV, PAN, e 7 deputados do PS e a abstenção de 1 deputado do CDS.

Ponto 2- Insta o Governo a promover, no âmbito da política externa e, nomeadamente, nas instituições internacionais em que Portugal se faz representar, uma ação consequente em prol da concretização do direito à autodeterminação do povo Saharauí.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

43 anos da invasão militar do Sahara por Marrocos

PUSL.- 31 de outubro assinala 43 anos da invasão militar marroquina do Sahara Ocidental.

Em 31 de outubro, 1975 tanques e regimentos blindados do exército marroquino invadiram o Sahara Ocidental começando em Hauza e Djederia (leste de Smara).

O regime marroquino camufla a invasão militar que começa a destruir, matar e raptar saharauis, desviando a atenção para a Marcha Verde (a Marcha Negra), atingindo o posto de fronteira Tah, entre Daoura e Tarfaya (Sahara Ocidental), a 6 de Novembro de 1975.

Espanha tinha obrigações claras enquanto metropole que violou segundo o direito internacional. A atitude de Espanha e falta de dignidade representou uma traição do povo saharaui que continua a sofrer com a ocupação e o exílio.

CONDENAMOS A INVASÃO MILITAR MARROQUINA DO SAHARA OCIDENTAL em 31 de outubro de 1975!!
‘Condenamos a MARCHA VERDE (marcha negra) a 06 de novembro de 1975!! Read more

Ayúdanos a difundir >>>